sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011

Os fogos anunciam a chegada de um ano novo!
É hora de refazer seus sonhos ainda não realizados e acreditar que irá concretizá-los.


Agradecer os seus amigos pelo ano que se finda.
Aprender com os erros do ano já ido e brindar o ano bem vindo com um sorriso.
Correr ao encontro daquele amor ainda não perdido ou surpreender mais uma vez o amor já conquistado.

Desejo a você um ano repleto de luz, amor, saúde e prosperidade.
Feliz Ano Novo!

As apostas para faturar o prêmio de R$ 200 milhões da Mega da Virada podem ser feitas até as 14h (horário de Brasília) desta sexta-feira (31). O sorteio da bolada acontece a partir das 20h (horário de Brasília), em São Paulo. A TV Globo vai transmitir o sorteio ao vivo.
A aposta simples da Mega da Virada, assim como a Mega-Sena tradicional, custa R$ 2. Com essa aposta, de seis dezenas, o apostador tem uma chance em 50.063.860 de faturar a bolada.
De acordo com a Caixa, o prêmio especial não tem chances de acumular. Ele será pago para quem acertar as seis dezenas da faixa principal. Caso não haja um sortudo, ganha quem acertar as cinco ou as quatro dezenas, e assim sucessivamente. Se aplicado na poupança, o prêmio de R$ 200 milhões pode render cerca de R$ 1,28 milhão por mês.



quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Exposição

Tive a grata satisfação de ser convidado à prestigiar na noite de hoje (29) a exposição "retratando o acre" de meu amigo Marco Lenísio, no museu memorial José de Alencar. 
Veja algumas telas disponível na exposição:























Para conhecer melhor esse artista plástico natural de Cruzeiro do Sul acessem o blog click aqui

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal

Amigo(a),
Todos os dias deste ano,
Você esteve presente.
Fazendo-me sorrir quando eu mais queria chorar.
Todas suas palavras confortaram

Meu coração quando eu mais precisei.
E é com todo carinho que desejo
Tudo de bom na sua vida,

Um Natal repleto de alegrias.
E que todos seus sonhos se tornem realidade neste
E em todos os Natais que ainda virão.

Um forte abraço.

E Feliz Natal!!!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Homenagem ate que enfim Reconhecida

Pela primeira vez no Brasil ocorreu uma premiação que visou valorizar os Profissionais de Enfermagem. (Já estava na hora, né? O que adianta nos pedir dedicação exclusiva e sem ter nenhum evento para nos prestigiar? Gostei muito desse prêmio.)


O 1° Prêmio Paranaense de Excelência em Enfermagem foi criado com o objetivo de reconhecer instituições de saúde e profissionais que desenvolveram atividades de qualidade para a população em todo o estado do Paraná. (Que pena que apenas aconteceu no Paraná, mas isso é um bom começo, pois poderá se expandir para os demais estados, pelo menos nas grande metrópoles.)

"A solenidade de entrega do prêmio será o evento mais importante desde a criação do Conselho Regional de Enfermagem do Paraná, pois contará com a presença dos grandes nomes da enfermagem nacional e das principais autoridades do Estado homenageando os trabalhos desenvolvidos em diversos cantos do Paraná", afirmou o Presidente do CorenPR, Montgomery Pastorelo Benites.

Ao todo, a enfermagem paranaense é representada por 67 mil profissionais. No Brasil, são 1,6 milhões e nunca, em todo o Brasil, foi criado um evento que valorizasse os profissionais que se destacaram em projetos e atuações públicas. Pois é, a lei nos pede dedicação exclusiva mas não dá nenhuma tipo de gratificação para nós, profissinais de enfermagem.

O prêmio foi criado pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren) e teve apoio do Governo do Estado e do Conselho Federal de Enfermagem(Cofen).

Além da premiação, foram homenageadas algumas personalidades públicas que se destacaram e defenderam a enfermagem. Dentre elas estão o Governador Beto Richa, a Deputada Federal eleita Rosane Ferreira, o Deputado Estadual Tadeu Venéri e o Presidente do Conselho Federal de Enfermagem, Manoel Carlos Néri.

O evento aconteceu no Canal da Música na Rua Júlio Perneta, 695 - Mercês - Curitiba (PR) na última terça-feira no dia 14 dezembro de 2010 as 19h e foi finalizado por um coquetel especial que foi até as 0h00.

Notícia retirada do site do Cofen.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Comparação Injusta


Click aqui e leia a matéria toda na integra.

Quem assistiu ontem(15) pelos noticiários da Tv, como foi é e fácil aprovar na Câmara dos Deputados e no Senado um projeto de lei.



Não imaginem que o projeto das 30 horas semanais da enfermagem se arrasta pelo senado e pela câmara 10 anos da paciência humana.
Click aqui e veja toda a trajetória da lei do slogan 30 horas já! que foi apresentado ao Congresso em 11 de Janeiro de 2000.


A Luta Continua......................




Click aqui e participe

domingo, 12 de dezembro de 2010

ANVISA disponibiliza o formulário de "Erro de medicação" aos profissionais da saúde

A segurança dos pacientes passa pela preocupação de como os medicamentos são prescritos, dispensados, administrados e monitorados nos estabelecimentos de saúde. Quanto melhor preparado estiver um serviço de saúde visando à prevenção de erros, mais seguro estará o paciente. Uma das abordagens sobre esse tema é o desenvolvimento de programas de avaliação e prevenção de erros de mediação em todas as instituições de saúde.



Erro de medicação é qualquer evento evitável que, de fato ou potencialmente, pode levar ao uso inadequado de medicamento. Isso significa que o uso inadequado pode ou não lesar o paciente, e não importa se o medicamento se encontra sob o controle de profissionais de saúde, do paciente ou do consumidor.

O erro pode estar relacionado à prática profissional, produtos usados na área da Saúde, procedimentos, problemas de comunicação, incluindo-se prescrição, rótulos, embalagens, nomes, preparação, dispensação, distribuição, administração, educação, monitoramento e uso de medicamentos.


A possibilidade da prevenção é uma das diferenças marcantes entre as reações adversas e os erros de medicação. Os erros de medicação são por definição preveníveis.

As causas mais comuns dos erros são as comunicações insuficientes ou inexistentes; ambigüidade nos nomes dos produtos, semelhanças físicas entre produtos; semelhanças na forma de escrita dos nomes dos produtos; semelhanças entre a sonoridade dos nomes de produtos e procedimentos; formas de recomendações de uso, abreviações médicas ou formas de escrita; procedimentos e técnicas inadequadas ou incorretas; uso indevido pelo paciente pela pouca compreensão do seu uso adequado.

Geralmente, os erros de medicação são eventos complexos, envolvendo múltiplas etapas, procedimentos e pessoas.

Por isso, é necessária uma revisão de todas as etapas do ciclo do medicamento para a identificação da cadeia de falhas, quando da investigação de um erro. A seguir, estão alguns processos e análises que podem fazer parte de uma investigação:
Prescrição
Avaliação da necessidade e seleção do medicamento correto;
Individualização do regime terapêutico;
Estabelecimento da resposta terapêutica desejada.

Dispensação
Revisão da prescrição;
Processamento da prescrição;
Mistura e preparo dos medicamentos;
Dispensação dos medicamentos de maneira adequada e oportuna.

Administração
Administração do medicamento correto para o paciente correto;
Administração do medicamento quando indicado;
Informação ao paciente sobre a medicação;
Inclusão do paciente no processo de administração.

Monitorização
Monitorização e documentação da resposta do paciente;
Identificação e notificação de eventos adversos aos medicamentos;
Reavaliação da seleção do medicamento, regime, freqüência e duração do tratamento.
Sistemas e gerenciamento do controle

Colaboração e comunicação entre os responsáveis pelos cuidados de saúde;
Revisão e gerenciamento do regime farmacoterapêutico do paciente.

Após esta etapa, é possível gerar hipóteses do porque ocorreu o erro e, considerando sua natureza prevenível, é possível fazer um plano corretivo ou preventivo. Trabalhar para que o mesmo evento não ocorra mais, é um dos maiores benefícios de se ter um sistema de registro e avaliação de erros nas instituições de saúde.
Assim, a Anvisa recomenda que os serviços de saúde possuam sistemas ou programas de avaliação e prevenção de Erros de Medicação em nível institucional. Esse programa tem como objetivo:
• Promover a busca e identificação dos erros humanos e institucionais e promover a prevenção dos acidentes nos cuidados à saúde;
• Estimular a incorporação de novos conhecimentos sobre origem das ameaças a segurança dos pacientes;
• Aumentar a conscientização e criar a comunicação e o diálogo para aprimorar a segurança dos pacientes e
• Desenvolver abordagens em informação, relacionamento colaborativo e educacional que promova a segurança do paciente.

Para alcançar esses objetivos, o programa institucional de avaliação e prevenção de Erros de Medicação deve:
• Identificar, relatar e analisar as causas de eventos adversos no cuidado a saúde;
• Aumentar a compreensão do impacto de mudanças nos sistemas de saúde, a partir dos erros;
• Desenvolvimento de métodos para evitar eventos adversos preveníveis;
• Avaliar a efetividade das técnicas projetadas para alterar comportamentos para prevenir erros e aumentar a segurança.

Os erros que acontecem em uma dada instituição de saúde podem estar ocorrendo simultaneamente em outras. O fato de identificar erros e notificá-los para a vigilância sanitária, mesmo que de forma anônima, pode contribuir para prevenir ou minimizar erros semelhantes em outros locais.
Assim, a área de Farmacovigilância da Anvisa disponibiliza o formulário de "Erro de medicação" a todos os profissionais da saúde e instituições que pretendam notificar erros de medicação. As notificações são sigilosas. A seguir está o link para notificação:
As notificações são avaliadas e, caso seja pertinente, serão emitidos alertas e informes com o objetivo de prevenir ou minimizar os erros de medicação.
Notificando erros de medicação poderemos ter serviços e produtos cada vez mais seguros para nossos pacientes.

A Luta Continua....


Click aqui e preencha o seu pela luta das 30 horas semanais

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Luta!

Brasília - Cerca de 630 mil brasileiros vivem com HIV em todo o país - desses, 255 mil não sabem que foram infectados. Os dados foram divulgados hoje (1º) pelo Ministério da Saúde.
De acordo com a pasta, o número de testes de HIV distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) passou de 3,3 milhões, em 2005, para 8,9 milhões em 2009. O índice de testagem para HIV em todo o país, no ano passado, foi de 38,4%.
Fonte: Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil
Edição: Talita Cavalcante

Não esqueça, use sempre camisinha...........

Campanha

Campanha