segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz Ano Novo!

 Que no ano de 2013 você conquiste tudo o que mais desejar, com saúde acima de tudo.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Campanha 2013

 
 
Doar sangue pode salvar vidas. Nas festividades do fim do anos os estoques de sangue e derivados cai a quantidades alarmantes, é preciso que mais pessoas doem, porque a quantidade de sangue necessária aumenta muito com o incremento dos acidentes automobilísticos.
 

O sangue tipo 0 (-) negativo, o mais comumente usado nas hemotransfusões por ser doador universal chega a faltar em alguns hemocentros.
 

Escolha a sua razão. Todos tem uma para doar sangue.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Tecnologia à Serviço da Saúde

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, recebeu na quarta-feira (19), no Rio de Janeiro (RJ), o primeiro lote nacional do medicamento biotecnológico oncológico Mesilato de Imatinibe, indicado para o tratamento de Leucemia Mielóide Crônica (LMC) e Estroma Gastrointestinal (tumor maligno do intestino). O medicamento é fruto de uma Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) que envolve os laboratórios públicos Instituto de Tecnologia em Fármacos/Farmanguinhos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Vital Brazil da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, além de cinco empresas privadas. Com a iniciativa, estima-se que a economia para o Sistema Único de Saúde chegue a R$ 337 milhões, em cinco anos.
“Com esta medida, o Brasil passa a produzir um medicamento que está na última fronteira do tratamento do câncer”, destacou Alexandre Padilha. “E o ministério reforça o compromisso de fortalecer o Complexo Industrial da Saúde e aumentar, progressivamente, a autonomia do país na produção de medicamentos, tornando-o cada vez mais independente de oscilações do mercado internacional”, completou o ministro.
 
Com a produção nacional do Mesilato de Imatinibe, o custo do comprimido do medicamento será de R$ 17,5 (100 mg) e R$ 70 (400 mg). Atualmente, o Ministério da Saúde compra o produto – de forma centralizada – a um preço de R$ 20,6 (100 mg) e R$ 82,4 (400 mg). “Estamos garantindo o acesso da população a uma assistência farmacêutica de qualidade e, ao mesmo tempo, racionalizando os recursos públicos”, observou o ministro Alexandre Padilha.
 
Assistência – A produção nacional do Mesilato de Imatinibe será suficiente para atender a toda a demanda do Sistema Único de Saúde – aproximadamente oito mil pacientes hospitalizados. Já no próximo ano, a previsão é que sejam entregues, ao SUS, cerca de quatro milhões de comprimidos do medicamento.
 
A produção compartilhada por dois laboratórios oficiais é considerada uma forma de garantir que o resultado seja o melhor possível. “Este é um consórcio inédito, que vai permitir a absorção de todo o ciclo tecnológico para a produção do medicamento, desde o fármaco até a embalagem do produto final”, explica o Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha. Na avaliação dos laboratórios públicos envolvidos – Farmanguinhos/Fiocruz e Instituto Vital Brazil – a iniciativa, além de incentivar o desenvolvimento tecnológico nacional, deverá estimular a concorrência e a consequente diminuição de preços praticados pelo mercado para outros medicamentos.
Parceria – O acordo para a produção nacional do Mesilato de Imatinibe também envolve os laboratórios privados EMS, Cristália, Globe, Alfa Rio, e Laborvida. A parceria inclui a transferência de toda a tecnologia para a fabricação e distribuição do medicamento no decorrer de cinco anos.
 
Além de produzirem o medicamento, Farmanguinhos e IVB também ficarão responsáveis por abastecer o SUS. Ou seja, enviar estoques do medicamento para as secretarias estaduais de saúde, que repassarão o produto para os hospitais.
 
Ano passado, o governo federal passou a comprar o Mesilato de Imatinibe de forma centralizada. Ao adquirir o medicamento em grande escala, o Ministério da Saúde obteve uma redução de mais de 50% no preço do produto.
 
Oncologia – Com exceção do Mesilato de Imatinibe – cuja aquisição passou a ser centralizada pelo Ministério da Saúde em 1º de maio de 2011 – o fornecimento dos demais medicamentos aos pacientes com câncer atendidos pelo SUS é uma atribuição dos próprios hospitais oncológicos. Nestes casos, a responsabilidade do Ministério da Saúde vai além: o governo federal financia os hospitais do SUS, públicos ou credenciados, para a assistência aos pacientes de forma integral (paga o tratamento completo, incluindo os medicamentos).
 
Incorporações – Este ano, o Ministério da Saúde aprovou protocolo clínico para a incorporação no SUS, a partir do próximo mês de janeiro, do medicamento Trastuzumabe (contra câncer de mama).
 
Atualmente, os pacientes assistidos pelo SUS têm acesso a cerca de 280 procedimentos para o tratamento de diferentes cânceres, incluindo cirurgias, medicamentos e terapias (quimioterapia e radioterapia, por exemplo).
Só este ano, o Ministério da Saúde investiu R$ 2,2 bilhões na assistência oncológica aos usuários do SUS. Para o próximo ano, a previsão é que estes recursos cheguem a R$ 2,4 bilhões.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal!

Quisera
SenhO, neste Natal
arma uma árvOre e nela
pendurar, em vez de bOlas,
Os nOmes de tOdOs os meus amigOs
Os amigOs de lOnge, de pertO, os antigOs
e Os mais recentes, os que vejO a cada dia e Os
que raramente encOntrOOs sempre lembradOs e
Os que as vezes ficam esquecidOs. Os constantes e Os
intenitentes. Das hOras difícieis e os das hOras alegres.
Os que, sem querer, eu magOei, ou sem querer me magOaram
Aqueles a quem cOnheçO prOfundamente e aqueles de quem cOnheçO
apenas aparência. Os que poucO me devem e aqueles a quem muito devO.
Meus amigOs humildes e meus amigOs impOrtante. Os nOmes de tOdos Os
que já passaram pela minha vida.Uma árvore de raíz muito profundas para
que seus nOmes nunca sejam arrancados do meu coração. De ramOs muitO
extensO para que nOvos nOmes vindOs de tOdas as partes venham juntar-se
aOs existentes. Uma árvOre de sOmbras muitO agradáveis para
que nossa amizade,
seja um momento de
repouso nas lutas da vida.
Que o Natal esteja vivo em cada dia do Ano que
se inicia para que possamos juntos viver o amor.
 

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Juizo Final? ou Perca do Juizo!

No dia 12 de outubro cerca de 40 policiais militares do Piauí cercaram uma casa em Teresina, capital do estado, onde 120 pessoas estavam reunidas para esperar, acreditem, o fim do mundo, fenômeno dos fenômenos que, segundo um homem de 43 anos que se intitulava “profeta”, aconteceria naquele mesmo dia, uma sexta-feira, precisamente às 16 horas, sob o sol a pino no cerrado piauiense.
 
Lá se vão dois meses, e o mundo não acabou. Salvo uma larga margem de erro, o profeta de Teresina — que não é exatamente um sacerdote maia — errou, o que não espanta. O que espanta é que mais de cem pessoas tenham atendido à insana convocatória, largado seus respectivos trabalhos e levado suas crianças (eram 32 na casa e foram “resgatadas” pela polícia) para um lugar onde só havia veneno de rato para comer.
 
Sem querer desmerecer o devanio apocalíptico no Piauí (ao contrário: o caso foi parar até no tabloide britânico The Sun), o fim do mundo mais concorrido dos últimos tempos ainda está por vir, por assim dizer, e com a proximidade do Juízo Final, marcado pelos maias para o dia 21 de dezembro, aumentam as chances de pessoas levarem tudo isso a sério, a sério demais.
Armagedon antes do Natal?
 
“O que você faria se só te restasse um dia?”, perguntava o cantor Paulinho Moska em canção de sucesso dos anos 90 (que foi até tema de abertura da minissérie “O Fim do Mundo”, da Rede Globo). “Abria a porta do hospício”, dizia um dos versos da música, em resposta à intrigante indagação. Em se tratando de apocalipse, entretanto, talvez seja melhor fechá-la.
 
No fim de novembro a Nasa, agência espacial norte-americana, decidiu lançar uma campanha na internet para desmentir o fim do mundo, tendo em vista a enxurrada de cartas que a agência vem recebendo de pessoas preocupadas, e até desesperadas, com as “notícias” sobre o Armagedon para antes do Natal. Segundo os cientistas da Nasa, muitas dessas cartas têm sido enviadas por jovens e crianças e algumas delas falam até em suicídio.
 
“Há um caso de um professor que disse que pais de seus alunos estariam planejando matar seus filhos para escapar desse apocalipse. O que é uma piada para muitos e um mistério para outros está preocupando de verdade algumas pessoas, e por isso é importante que a Nasa responda a essas perguntas enviadas para nós”, disse o astrobiologista David Morrison, do Centro de Pesquisa Ames, da Nasa, à BBC.
 
A ciência em tempos de fim dos tempos
 
Um estudo realizado em meados deste ano pela Ipsos Global Public Affairs, com sede em Nova York, mostrou que quase 15% da população mundial acredita que o fim do mundo ocorrerá durante sua vida. E mais: 10% dos entrevistados levam a sério a história do fim do mundo em 2012 previsto pelo calendário maia. Entre os norte-americanos, a proporção é de 12%. Entre os chineses, 20%!
 
A Nasa fez uma teleconferência online de cientistas para combater esta prestidigitação e criou uma seção em seu site oficial intitulada “Para além de 2012: por que o mundo não vai acabar?”, na qual enfatiza que não há evidências de que os planetas do sistema solar estejam se alinhando, indícios de que uma tempestade solar possa ocorrer no final de 2012 e muito menos de que haja um planeta em rota de colisão com a Terra, entre outras, digamos, possibilidades.
 
No Twitter, a Nasa deixou o apelo: “A internet diz que o mundo acaba em 2012? Não acredite! Encontre os fatos científicos aqui”. Mas será a ciência capaz de aquietar os espíritos em obscuros tempos de fim dos tempos?

Retrospectiva do fim do mundo em dez previsões fracassadas

10. A GALINHA PROFETA DE LEEDS, 1806fim do mundo
Existem inúmeros exemplos de pessoas que proclamam o retorno de Jesus Cristo, mas provavelmente nunca existiu um mensageiro mais estranho do que a galinha da cidade inglesa de Leeds, em 1806. As pessoas da cidade contavam que uma galinha começou a botar seus ovos no formato da frase “Christ is coming” (“Cristo está chegando”). Notícias do incrível milagre se espalharam rapidamente, e muitas pessoas se convenceram que o dia do juízo final estava próximo. A história começou a tomar proporções enormes, até que um curioso cidadão da cidade observou a galinha botando os ovos – e descobriu que a cidade inteira tinha caído em uma brincadeira de mau gosto.


9. A PREVISÃO ADVENTISTA, 23 DE ABRIL DE 1843
 
fim do mundo
O fazendeiro estadunidense William Miller, depois de estudar a Bíblia durante vários anos, concluiu que a data escolhida por Deus para acabar com o mundo poderia ser encontrada em uma interpretação literal dos escritos. Ele explicava para seus seguidores (chamados de Adventistas ou Milleristas) que o mundo acabaria entre 21 de março de 1843 e 21 de março de 1844. Ele pregava e publicava o bastante para conseguiu milhares de seguidores, que chegaram à conclusão que a data definitiva seria 23 de abril de 1834. Muitos seguidores de Miller venderam ou doaram todas suas posses. Quando a data do fim do mundo chegou. e Jesus não retornou. o grupo se desintegrou, mas alguns remanescentes formaram a religião Adventista.
8. O RETORNO DE JESUS EM 1891
fim do mundo
Joseph Smith, fundador da religião mórmon, nos Estados Unidos, afirmou a líderes da igreja em 1835 que Deus havia dito a ele que Jesus retornaria em 56 anos, o que não ocorreu, e o mundo continua em seu curso natural.

7. O COMETA HALLEY, 1910
fim do mundo
Em 1881, um astrônomo descobriu que a cauda de cometas têm um gás mortal, chamado de cianogênio. tão tóxico quanto o cianeto, que é semelhante a ele. A descoberta não recebeu muita atenção, até que alguém notou que a Terra passaria próxima à cauda do cometa Halley em 1910. O respeitado jornal estadunidense “The New York Times” e vários outros questionavam se todas as pessoas do planeta morreriam envenenadas pelo gás tóxico, o que levou a uma onda de pânico nos Estados Unidos. Finalmente, cientistas com a cabeça no lugar explicaram que não havia motivos para temer a passagem do cometa, que ocorreu sem maiores problemas.

6. O FIM DO MUNDO EM 1982
fim do mundo
Em maio de 1980, o fundador da Coalizão Cristã e celebridade televisiva Pat Robertson assustou muitas pessoas quando contrariou ao vivo a passagem Mateus 24:36. que afirma que ninguém sabe o dia ou hora em que o fim chegará. Ele afirmou à platéia do seu programa que ele sabia quando seria o fim do mundo: “Eu garanto a vocês que, até o fim de 1982, haverá um julgamento no mundo”, ele disse.
5. A SEITA HEAVEN’S GATE
fim do mundo
Quando o cometa Hale-Bopp apareceu em 1997, surgiram também rumores que uma nave alienígena está seguindo o cometa. Além disso, as pessoas afirmavam que a nave estava sendo escondida pela Nasa e pela comunidade de astrônomos. o que podia ser facilmente refutado por qualquer pessoa com um telescópio. Apesar da negação da existência de tal nave, os rumores foram divulgados amplamente, e inspiraram a criação de uma seita chamada “Heaven’s Gate” (“Portais do Céu”, em tradução livre), que acreditava que o mundo acabaria logo. Infelizmente, no dia 26 de março de 1997, o mundo acabou para 39 membros do culto, que foram levados a um rancho no meio do deserto e cometeram suicídio por acreditar que suas almas seriam levadas pelos alienígenas.

4. AS PREVISÕES DE NOSTRADAMUS PARA 1999
fim do mundo
A escrita metafórica e obscura de Michel Nostredame, conhecido como Nostradamus, intrigaram estudiosos por mais de 400 anos. Seus escritos, que dependem muito da interpretação, foram traduzidos e reescritos em inúmeras versões. Uma das suas frases mais famosas afirma “No ano 1999, sétimo mês / Do céu virá o grande rei do terror”. Muitos devotos das previsões de Nustradamus ficaram preocupados, já que ele tinha grande fama, e acreditavam que esta era a sua previsão do fim do mundo.

3. Y2K, JANEIRO DE 2000
fim do mundo
A virada do milênio deu origem a mais uma previsão para o fim do mundo: o problema, notado na década de 70, seria que muitos computadores não conseguiriam ver a diferença entre o ano 2000 e o ano de 1900. Ninguém tinha certeza do que isso significaria, mas muitos sugeriam que problemas catastróficos poderiam ocorrer, desde blecautes enormes a um holocausto nuclear. A venda de armas cresceu muito e várias pessoas prepararam bunkers para viver após a catástrofe. Mesmo com todos os problemas previstos, o ano novo começou normalmente, com alguns pequenos problemas em computadores isolados.

2. 5 DE MAIO DE 2000
fim do mundo
Para o caso do Y2K não acabar com a humanidade, uma outra catástrofe global foi prevista por Richard Noone, autor do livro “5/5/2000 Ice: The Ultimate Disaster” (“Gelo: o desastre final”, em tradução livre, sem edição brasileira). Segundo o autor. O gelo da Antártica teria quase 5 quilômetros de espessura no dia 5 de maio de 2000, quando os planetas se alinhariam no céu, resultando em uma morte gelada para toda a humanidade. O final dessa história foram milhares de exemplares do livro vendidos, mas sem mortes em massa devido ao gelo derretido. quem sabe o aquecimento global impediu o desastre!
1. O FIM DO MUNDO EM 2008
fim do mundo 
De acordo com o pastor da Igreja de Deus Ronald Weinland, autor do livro “2008: God’s Final Witness” (“2008: a última testemunha de Deus”, em tradução livre), centenas de milhares de pessoas morreriam a partir de 2006, quando o livro foi lançado. Ao fim daquele ano, o pastor afirmava que haveria no máximo dois anos antes do momento em que o mundo entrasse no pior período de toda a existência humana. Até o segundo semestre daquele ano, os Estados Unidos teriam sofrido um colapso, e não existiriam mais como um país independente. De acordo com o que está escrito no livro, Weinland “coloca a sua reputação em jogo no sue papel de profeta de Deus”. Adeus, reputação!
Obs.: VAMOS AGUARDAR AS CENAS DOS PRÓXIMOS CAPÍTULOS....

sábado, 15 de dezembro de 2012

Estratégias 2013

Discutir sobre a formação em enfermagem, as novas profissões e a interface com o fazer da enfermagem e a inserção da enfermagem na residência multiprofissional são algumas atividades aprovadas e propostas pelo Fórum 30 horas já! para o ano de 2013 a serem apresentadas à Frente Parlamentar Mista em Defesa da Enfermagem, criada em junho último e presidida pelo deputado Wilson Filho (PMDB-PB).
 
Educação permanente e à distância, acesso e qualidade da assistência de enfermagem no SUS, condições de trabalho – mercado e precarização também serão temas frequentes nas mobilizações do Fórum.
 
As entidades vão, ainda, associar as atividades a mobilizações nacionais como dia da mulher e marcha da juventude, além das ações específicas do mês da enfermagem, maio.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Perfil da Enfermagem no Juruá


Nesta Segunda-feira (10), a coordenadora Estadual AC da Pesquisa Perfil da Enfermagem - SISPERFIL/AC, Narjara Campos de Araujo, juntamente com o apoio do Presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Acre - COREN/AC, José Adailton Cruz Pereira, com o objetivo de estabelecer parceria na divulgação e sensibilização dos profissionais do Vale do Juruá na participação da pesquisa, estarão realizando atendimento o dia todo no Ambulatório da Maternidade do Juruá das 08h:00min as 12h:20min e das 14hs:00min as 18hs:30min.
Na Terça-feira (11), amanhã, haverá uma reunião com a coordenadora do SISPERFIL/AC, Narjara, juntamente com o presidente do COREN/AC, Adailton, tratando assuntos de seus interesses e tirando duvidas do perfil da enfermagem.
Vale destacar que foram selecionados aleatoriamente enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem para receber o questionário e após o preenchimento dos dados solicitados, postá-lo novamente numa agência do Correio.
Os profissionais que não foram selecionados podem participar divulgando a pesquisa e convidando os colegas para a reunião que acontecerá amanhã (11) no Auditorio da Maternidade do Juruá, para estarmos reforçando a importância para que os que foram selecionados respondam o mais rápido possível. “Cada selecionado que responder a pesquisa representa um grupo de profissionais, daí a importância de todas as respostas”.
A pesquisa
A pesquisa está sendo desenvolvida por meio de questionários. O universo do estudo é composto por enfermeiros, técnicos e auxiliares de Enfermagem, somando um contingente de cerca de 1 milhão e 400 mil trabalhadores, por meio de uma amostragem com profissionais selecionados aleatoriamente, devido à grande quantidade de profissionais da área. Essa amostra representará todo o universo da pesquisa, contemplando os aspectos da formação profissional, origem sócio-econômica, atualização técnico-científica, qualidade e condições de trabalho, remuneração e participação sócio-política, daí a importância que todos os selecionados respondam e devolvam o questionário.
Se você foi selecionado na amostra, receberá o questionário em sua residência, juntamente com um envelope-resposta. Essa correspondência terá porte pago (não haverá despesas para remetê-lo de volta à Coordenação da pesquisa). Caso prefira, o participante poderá responder ao questionário on line, no site da pesquisa na FIOCRUZ. Click aqui.
“Trata-se de um estudo muito importante, pois é o primeiro desta natureza realizado no Brasil, e que não servirá apenas para traçar um perfil detalhado da Enfermagem, mas que fornecerá dados para subsidiar as políticas públicas relacionadas à profissão. Hoje, quando vamos reivindicar melhorias para a profissão, sejam as questões salariais ou de condições de atendimento à sociedade, nós ainda não temos dados oficiais que possam corroborar as lutas da Enfermagem”compartilhem.......




segunda-feira, 26 de novembro de 2012

O Que os Hospitais Não Contam para Você

Quando atravessamos a recepção elegante de um hospital de boa reputação, somos encorajados a pensar que ele funciona como um território vigiado.
 
Cada funcionário em seu lugar, trabalhando de acordo com padrões, atento ao fato de que deslizes serão notados, anotados e corrigidos.
 
Quem conhece os bastidores das mais respeitadas instituições tem outra visão.
 
“A realidade é mais parecida com o Velho Oeste”, diz o médico americano Martin Makary, um observador privilegiado das entranhas dos mais badalados hospitais dos Estados Unidos.
 
Sem meias palavras, Makary expõe verdades incômodas no livro Unaccountable: what hospitals won’t tell you and how transparency can revolutionize health care (em português, Sem prestar contas: o que os hospitais não contam e como a transparência pode revolucionar a assistência à saúde).
 
É hora de quebrar o silêncio.
 
Click aqui e leia toda materia.

Pra, Quê!

O Plenário do Conselho Federal de Enfermagem - COFEN, em sua 421ª Reunião Ordinária, discutiu amplamente as notícias veiculadas por meio da imprensa, e difundidas na internet, que informam sobre a previsão de lançamento de nova telenovela da TV Globo, em fase de elaboração pelo autor Walcyr Carrasco, que tratará em uma de suas tramas sobre um erro cometido por uma personagem Enfermeira, que induzirá outro profissional a extrair equivocadamente um órgão de um paciente.
 
Tal preocupação se dá, em especial, porque a telenovela, na cultura brasileira, é uma das principais formadoras de opinião pública, de identidade nacional e de modas de consumo, afetando e influenciando milhões de brasileiros, em todas as idades e em todos os níveis socioeconômicos. Dessa forma, a simples apresentação de um erro profissional, sem promover discussões relacionadas à origem dos fatores que induziram a ele, é um desserviço à sociedade e aos profissionais de enfermagem, uma vez que a televisão aberta é um serviço público, cedido mediante concessão do Estado, e não mera atividade econômica, como deixa claro o artigo 21 da Constituição Federal.
Assim, o Conselho Federal de Enfermagem vê com preocupação propostas de tramas envolvendo erros que, por sua natureza tornam-se fatos de grande repercussão e que contribuem para a desvalorização de 1,5 milhão de trabalhadores envolvidos diuturnamente com o cuidado científico, técnico e solidário de pessoas, distorcendo a imagem de profissionais dignos, sérios e competentes que desenvolvem seu trabalho em equipes multiprofissionais em atmosfera de atenção, respeito e confiança. Além disso, fica este Conselho Federal à disposição da emissora para reavaliar a proposta da trama, a qual poderá ser de contribuição inestimável para as relações positivas entre a população e os trabalhadores da saúde, a fim de discutir situações que efetivamente promovam a melhoria da qualidade dos serviços desempenhados por estes dedicados profissionais no país.
 
O COFEN entrará em contato com a rede Globo, no sentido de contribuir para que não venham a ser difundidas notícias que maculem a imagem dos profissionais de enfermagem de todo o Brasil.

domingo, 25 de novembro de 2012

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Plano de Cargos, Carreira e Salarios / SUS


O Ministério da Saúde estabeleceu até dia 30 de novembro para os secretários de Saúde darem sugestões de planos de cargos, carreiras e salários e de melhoria das condições de trabalho de profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). A intenção do governo é promover melhorias nas condições de trabalho dos profissionais do SUS.
Mozart Sales, secretário de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde do Ministério da Saúde, disse em nota que o objetivo é estimular gestores e profissionais a encontrarem, de maneira integrada, soluções inovadoras que possam melhorar as condições dos profissionais do SUS e evitar a fragilização dos vínculos trabalhistas.
O Ministério da Saúde deve investir R$ 29 milhões em dez projetos de abrangência intermunicipal e/ou regional que serão selecionados entre os enviados. Destes, sete selecionados serão projetos de melhorias das relações e dos vínculos de trabalho e três de planos de carreira, cargos e salários.
O Conselho Federal de Medicina (CFM) sugere que seja adotada uma carreira de estado com dedicação exclusiva, semelhante a dos magistrados. No Dia do Médico, comemorado em outubro, o presidente do CFM, Roberto d\’Ávila diz que é uma boa forma de valorizar o trabalho dos médicos e, além disso, suprir a carência de profissionais em cidades menores, principalmente da região amazônica e do interior do Nordeste do país.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Intensificando as 30 horas Já!


Para conquistar o voto dos deputados federais para aprovar PL 2295/2000, que regulamenta a jornada de trabalho dos profissionais de enfermagem sem redução de salários, o Forum “30 Horas Já” intensificou as ações de vigília na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (13).
De gabinete em gabinete, os integrantes do Sistema COFEN/Conselhos Regionais e da FNE, que estavam incumbidos da vigília nesta terça, entregavam panfletos com os 25 motivos para votar as 30 Horas para a Enfermagem.
A ação de sensibilização ocorre antes da reunião do Grupo de Trabalho integrado por representantes da enfermagem e dos setores público e privado, que estarão reunidos dia 19 de novembro, no Ministério da Saúde, em uma mesa de negociação para chegar ao consenso quanto ao impacto financeiro da regulamentação da jornada. 
Tanto o Ministério da Saúde quanto o Forum “30 Horas Já” já chegaram a números bastante semelhantes, incluindo encargos trabalhistas, baseados nos dados da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), do Ministério do Trabalho e Emprego.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Movimento em Prol da Saúde

Iniciou-se no mês de Outubro no Vale do Jurua um movimento de reenvidicações para a transformação da saúde do nosso município. Este movimento tem por determinação mudanças significativas na área da saúde. Nosso objetivo é da organização no atendimento, qualificação profissional e social. Para isto, é necessário acreditar que uma revolução é possível.

Trabalhadores e Trabalhadoras na Areá da Saúde do Vale do Juruá, eu (Joel Queiroz), Emílio Lavoisier e Raimundo Nonato mas conhecido por Padre, estamos enganchado na luta da revisão da Lei Complementar Estadual n.84 de 28 de Fevereiro de 2000 que Institui o Plano de Carreira, Cargos e Remuneração para os Servidores Públicos da Secretaria de Estado de Saúde e Saneamento do Estado do Acre, que adere ao PCCR/AC destacado para meados de Julho de 2013.

Estamos buscando apoio de todos os alunos, trabalhadores e usuarios da área da saúde dos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Tarauacá e Feijó  vamos realizar a união dos trabalhadores dos municípios do Vale do Juruá.

Na agenda das ações que deu-se inicio no dia 10 de Outubro de 2012, nos estivemos fazendo visitas aos colegas em todos os plantões da Maternidade do Juruá, independente do local estamos realizando reunião em casas de amigos e nas praças de onde ficar mais viável a nossa conversa e bom entendimento de nossos colegas de profissão.

Na ultima semana tivemos o engajamento dos alunos do Curso Técnicos de Enfermagem do SENAC e INTEAC, quero aqui ressaltar que a nossa visita no SENAC se realizou em conversas com o presidente de turna, Al.tec.Enf Diego, no INTEAC pela Al.Tec.Enf. Emanuela, que sábios resolveram me sabatinar de quais seriam os benefícios da luta em relação a chegada deles mais tarde como profissionais.

Nas reuniões nos destacamos como esta a saúde em nosso município, qual o grau de conhecimento sobre o PCCR tanto do estado quanto do município de CZS, últimos informes do PL 2.295 de 11 de Janeiro de 2000 que dispõe da jornada de trabalho da enfermagem intitulado de 30 horas semanais e da PL 4.924 de 25 de Março de 2009 que dispõe do piso salarial da enfermagem, discutimos também a tão falada humanização e na conversa não deixaria de se falar na falta de um representante na politica atual tanto na esfera municipal quanto na esfera estadual.

Contamos com a participação dos companheiros que sonham em fazer um marco na historia do Vale do Juruá. O ponta pé inicial foi dado com a primeira reunião. Mas, é necessário que o trabalho continue. Arregacemos as mangas e mudemos nossa atitude.

Idéias Brigam! Pessoas as Utilizam!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Na Luta!


Dirigentes da Confederação Nacional de Trabalhadores na Saúde - CNTS, Federação Nacional dos Enfermeiros - FNE, Associação Brasileira de Enfermagem - ABEn e Conselho Federal de Enfermagem - COFEN vão intensificar a pressão junto aos deputados federais e realizar atividades semanais, com divulgação de material sobre as justas razões da categoria e visitas a lideranças parlamentares. Nos dias 20 e 21 de novembro haverá maior concentração nas dependências da Câmara dos Deputados e atividades em contato com a população, esclarecendo sobre a profissão e a necessidade e importância da aprovação do PL 2.295/00. Mais detalhes sobre a mobilização ainda estão sendo discutidos no Fórum.
Em paralelo, membros da coordenação do Fórum permanecem em constante debate com os prestadores de serviços dos setores privado e filantrópico. Rodadas de discussão acerca do impacto financeiro vêm sendo realizadas para discutir encaminhamentos e definir estratégias com vistas a buscar um consenso que garanta a aprovação do PL 2.295 na Câmara e a respectiva sanção presidencial. São muitos os argumentos de ambas as partes, que possuem justificativas e valores divergentes.
A jornada das 30 horas para a enfermagem foi tema de mesa redonda do I Seminário Nacional de saúde e Segurança do Trabalhador da Saúde, realizado pela CNTS em São Paulo, com participação de representantes de trabalhadores e empregadores. Dia 28 de setembro, na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de São Paulo, dirigentes da CNTS e do Fórum 30h voltaram a se reunir com o setor patronal com o objetivo de construir uma proposta que atenda aos interesses dos dois segmentos. Propostas foram levantadas, mas ainda carecem de mais debates rumo a um possível entendimento. São muitos os argumentos de ambas as partes, que possuem justificativas e valores divergentes.
Dia 16 de outubro, na sede da Confederação, em Brasília, houve novo encontro entre trabalhadores e empregadores. “De ambos os lados, começam a surgir propostas que podem levar a uma alternativa a ser apresentada ao governo”, avaliou o secretário-geral da CNTS, Valdirlei Castagna. Nova discussão está prevista para o dia 5 de novembro. “Nossa expectativa é de que tenhamos uma sugestão a ser levada para reunião no Ministério da Saúde, em encontro marcado para 6 de novembro”, disse.
No início de setembro, uma nova comissão, composta por representantes do governo, dos trabalhadores e dos prestadores de serviços na saúde, foi criada para discutir sobre o impacto financeiro e quantitativo que a implantação da jornada de 30 horas. A comissão tem como objetivo analisar o novo estudo elaborado pelo Departamento de Economia da Saúde, Investimentos e Desenvolvimento, órgão da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde. O grupo voltou a se reunir dia 19 de setembro com o objetivo de avaliar os números apresentados e busca construir um entendimento que leve à inclusão do projeto na pauta de prioridades para votação em plenário.
O estudo elaborado pelo Departamento de Economia da Saúde, traduzido na Nota Técnica 52, de 30 de agosto de 2012 – a quinta nota elaborada pelo Ministério desde julho de 2011 –, se baseia na Nota Técnica 22/12 e traz uma estimativa do impacto financeiro e quantitativo da “redução gradativa” da carga horária no setor de enfermagem nas esferas pública e privada. A proposta seria reduzir a jornada de 40 horas para 36h em 2012, para 32h em 2013 e para 30h em 2014. A nota considera a evolução da quantidade de profissionais adicionais que seriam necessários; a remuneração média; o crescimento médio quantitativo para técnicos e auxiliares de enfermagem e enfermeiros; o crescimento médio dos salários nominais para esses profissionais; e os encargos sociais, numa projeção entre 2010 e 2014.
Os números apresentados, em situações diferentes, estão em debate no Fórum 30h. O próprio Departamento, que utilizou dados da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS, do Ministério do Trabalho e Emprego, destaca que “o estudo não captou a possibilidade de profissionais da enfermagem terem sido contratados e registrados com determinado número de horas, porém, efetivamente exercerem, informalmente, carga horária inferior”. Segundo Valdirlei Castagna, que participou da reunião, a Rais é feita com dados informados pelos empregadores com base nos contratos iniciais e o estudo do Ministério parte do princípio de que todos tenham carga de 40 horas semanais. “A jornada, em muitos casos, por força de acordos coletivos ou de leis estaduais e municipais, já foi reduzida para 36, 32 e até 30 horas, portanto, os números não revelam o quando atual”, ressaltou.

Campanha

Campanha