quinta-feira, 29 de março de 2012

Reconhecendo a Luta

O Deputado Damião Feliciano - PDT/PB, realizou nesta terça-feira (27) , às 17h no Plenario 15, Audiência Pública na Câmara dos Deputados pela defesa da jornada de trabalho de 30 horas para os profissionais de Enfermagem. A discussão é uma iniciativa do presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Profissionais da saúde.
A Frente Parlamentar em Defesa dos Profissionais da Saúde conta com aproximadamente 300 Deputados Federais e vai solicitar da Presidência da Câmara a aprovação do projeto de Lei 2.295/00, que regulamenta a jornada de 30 horas semanais para os profissionais da enfermagem.
O Deputado Damião vai solicitar o apoio de organizações representantes em ní­vel nacional, como Aben, Cofen, CNTS e FNE.

Fonte_COFEN

Fortalecendo a Luta

O "Fórum Nacional 30 horas Já", composto por entidades representativas da Enfermagem- COFEN, CNTS, FNE, ABEn Nacional, Executiva Nacional dos Estudantes de Enfermagem, ANATEN e CNTSS, realizará no próximo dia 11 de abril um grande Ato Público em prol da redução da jornada de trabalho em 30 horas para todos os profissionais da Enfermagem brasileira.
A mobilização será na Capital Federal, na Esplanada dos Ministérios, a partir das 9 horas da manhã. Estarão também presentes no Ato representantes das entidades da Enfermagem e das centras sindicais - CUT, CTB e Força Sindical, além de parlamentares federais e estaduais.
Segue abaixo a programação:
DATA: 11.04.12
HORÁRIO: 9 às 13h
LOCAL: Esplanada dos Ministérios09:00 – Concentração – Esplanada dos Ministérios
10:00 – 13:00 – Abertura do Ato: 30h Já para Enfermagem não Parar
- Fala dos Representantes das Centrais Sindicais: CUT, CTB E FORÇA SINDICAL- Fala dos Representantes das Entidades Nacionais e Estaduais- Parlamentares- Caminhada ao Anexo II
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL:- Animação: Anjos da Enfermagem- Escola de Samba
Audiência Pública:
No mesmo dia, a partir das 14 horas, uma Audiência Pública na Câmara dos Deputados debaterá sobre a jornada de trabalho das 30 horas. A proposta é mostrar que a Enfermagem está engajada e pressionará para que o PL 2295/00 seja aprovado. Representantes do Fórum propõem juntamente com os líderes partidários para que o PL seja incluído na Ordem do Dia do Plenário da Câmara dos Deputados para que seja votado imediatamente.
Programação:
DATA: 11.04.12
HORÁRIO: 14:00 às 16:30
LOCAL: Auditório Nereu Ramos
14:00-15:30h: Mesa de Abertura: Solange Caetano (FNE), Manoel Neri (COFEn), Ivone Cabral (ABEn), João Rodrigues (CNTS), Maria Godoi (CNTSS), José Antônio Costa (Anaten), ENEEnf, Deputada Rosane Ferreira, Deputada Carmem Zanotto, CUT e CTB.
- Convidados: Deputada Rejane Almeida (RJ), Deputada Gorete Reis (SE), Deputada Vitor Paulo, Deputada Valéria Macedo (MA), Deputada Ana Paula Lima (SC)
15:30-16:30: Condições de Trabalhado da Enfermagem X Adoecimento – Enfª Drª Vanda Elisa Andres Felli – Debatedora – Deputada Rejane de Almeida. Mediadora Deputada Gorete Reis
16:30-17:30h: Quanto vale o voto da Enfermagem – Enfª Solange Caetano – Mediadora Deputada Ana Paula Lima (SC)
17:30h- Encerramento Entrega Moções e Audiência com Presidente da Câmara com pedido de colocar na ordem do dia e votação do PL.
Promessa de Campanha
Entre as reivindicações proposta pela Enfermagem é que a Presidenta da República, Dilma Rousseff, assuma seu compromisso quando candidata, se comprometendo a apoiar o Projeto de Lei das 30 horas.
Veja a carta assinada abaixo:

Moções de apoio
A busca por apoios à aprovação das 30 horas está sendo ampliada pela Câmara de Vereadores de alguns estados, como a dos municípios catarinenses. Assim como já aconteceu nos municípios de Joinville e Itapema, será apresentada uma sugestão de moção para ser aprovada pelos parlamentos municipais. As entidades que compõem o Fórum farão contatos com as Câmaras em todo o Estado.



Fonte_COFEN

quarta-feira, 28 de março de 2012

Adoce sua Vida! Que?

O açúcar é um veneno e deveria ter sua venda controlada assim como o cigarro e o álcool. A radical afirmação é a conclusão de cientistas americanos, que atribuem o consumo excessivo de açúcar em alimentos e bebidas ao crescimento de doenças como obesidade, câncer, problemas no coração e no fígado. As informações são do jornal britânico Daily Mail.
Eles acreditam que isso contribui para a morte de 35 milhões de pessoas por ano, em todo o mundo, o que na opinião dos pesquisadores é motivo suficiente para haver um maior controle e uma legislação mais rígida neste sentido. Em um artigo intitulado “A verdade tóxica sobre o açúcar”, publicado no jornal Nature, os cientistas afirmaram: “um pouco não é um problema, mas muito mata – lentamente”, sentenciaram.
Eles alertam, ainda, que a obesidade atualmente representa um problema maior do que a desnutrição em todo o mundo. Eles reforçam que o açúcar não só contribui para a obesidade, mas afeta o metabolismo como um todo, aumenta a pressão arterial, desequilibra os hormônios e faz mal ao fígado. Os danos causados também estão associados ao abuso do álcool – feito com açúcar destilado.
Os pesquisadores mostram que, assim como o álcool, o açúcar está disponível em larga escala, o que induz o abuso. Eles acreditam que a restrição seria mais efetiva do que educar as crianças sobre dietas ou exercícios físicos.
Sendo assim, o estudo sugere que a taxa sobre os refrigerantes seja dobrada, o que poderia reduzir sua venda; assim como regulamentações mais rígidas em escolas e lanchonetes. O artigo mostra também que o consumo de açúcar atual representa o triplo do que era consumido há 50 anos. Outras linhas de pesquisa se opõem a esta teoria, afirmando que a chave para a boa saúde está em uma dieta variada, incluindo atividades físicas.
Uma alternativa esta no produto que e vendido no mercado do centro de Cruzeiro do Sul, o açúcar mascavo, popularmente conhecido como açúcar gramicho.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Orgulho Acreano

Pela primeira vez na história do Acre, um acriano faz parte da diretoria do Conselheiro Federal de Enfermagem, órgão máximo da representação da enfermagem brasileira. Jebson Medeiros de Souza, 33, enfermeiro é um dos conselheiros mais novos a ocupar a vaga de conselheiro federal. Jebson foi eleito ainda como segundo tesoureiro e irá administrar o COFEN, juntamente com mais cinco diretores, no período de 23 de abril de 2012 a 22 de abril de 2015.

“Para nós acrianos é um motivo de muito orgulho termos conquistado esta vaga de diretor de uma instituição que representa aproximadamente 1.800.000 profissionais da área de saúde. É uma grande responsabilidade e compromisso e estamos preparados para mais esta missão. Essa vitória foi fruto da confiança depositada em nós por parte dos quase 5.000 profissionais de enfermagem do estado do Acre, a quem gostaria de agradecer pelo apoio nos últimos seis anos, quando estive a frente da presidência do Conselho Regional de Enfermagem – COREN-AC. Também gostaria de agradecer ao apoio do atual presidente do COFEN, Dr. Manoel Carlos, que teve um carinho especial com a enfermagem acriana nos últimos cinco anos, nos apoiando nos principais projetos de crescimento institucional”.

A chapa Consolidar as Conquistas e Avançar foi eleita, na última quarta-feira (14), em Brasília, para dirigir o Conselho Federal de Enfermagem – Cofen, no triênio 2012/2015. O novo plenário, que iniciará seu mandato a partir de 23 de abril, recebeu votos de 23 dos 26 Delegados Regionais do Sistema Cofen-Corens que se encontravam aptos a votar. A eleição foi acompanhada de perto pela presidente da Associação Brasileira de Enfermagem (Aben), Ivone Cabral, a presidente da Federação Nacional de Enfermagem (FNE), Solange Caetano, e o representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde (CNTS), Valteci Araújo. Pernambuco está representado na suplência da nova composição. Confira os integrantes do plenário do Cofen.

Gestão COFEN 2012 a 2015

terça-feira, 20 de março de 2012

Convivendo com o inimigo

Que o refrigerante não é saudável não é novidade, mas quais são realmente os males que esta bebida causa? De acordo com o Huffington Post (portal de Noticias Americano),  tomar refrigerante pode aumentar o risco de ataques cardíacos e osteoporose. Além disso, por ser rico em açúcar, o consumo de refrigerante provoca o aumento de peso. Veja a seguir outros malefícios da bebida, listados pelo Huffington Post.
Ataques cardíacos – Pesquisadores da Harvard descobriram que ingerir uma bebida açucarada por dia aumenta 20% o risco de um homem ter um infarto durante um período de 22 anos. O risco se intensificou com o aumento das bebidas doces consumidas.
Síndrome metabólica e doença hepática gordurosa –Mesmo que a pessoa não ganhe peso, o refrigerante açucarado pode ser prejudicial para a saúde cardiovascular – especialmente para as mulheres. As mulheres que ingerem bebidas adoçadas com açúcar são mais propensas a desenvolver níveis elevados de triglicérides – gordura no sangue. Pesquisadores descobriram que as mulheres que consumiam pelo menos duas porções de refrigerante por semana, eram quatro vezes mais suscetíveis a ter altos níveis de triglicérides. Esta gordura passa a envolver os órgãos. como o fígado, o que pode contribuir para risco elevado de doença coronariana cardíaca, diabetes tipo 2 e acidente vascular cerebral.
Ganho de peso – Naturalmente, ao consumir calorias extras ocorre o aumento de peso. Mesmo refrigerante diet podem levar a problemas. Dados recentes demonstraram uma associação entre a bebida sem açúcar e o aumento da cintura.
Osteoporose – Um ingrediente na cola pode prejudicar o cálcio dos ossos. Um estudo de pesquisadores da Tufts University descobriu que mulheres que relataram beber apenas três colas por semana tinham uma perda óssea média de 4% em locais como os quadris do que as mulheres que consumiam outra bebida. Os refrigerantes de cola contêm ácido fosfórico aromatizante. Segundo o autor principal do estudo, Kathleen Tucker, a substância causa maior acidez no sangue, o corpo então usa o cálcio dos ossos para neutralizar o ácido no organismo.
Diabetes tipo 2 – Diabetes anda de mãos dadas com a obesidade e o consumo elevado de açúcar. Um estudo com 90 mil mulheres mostrou que as que ingeriam uma ou mais bebidas açucaradas (como refrigerante ou suco) foram duas vezes mais propensas a desenvolver diabetes tipo 2. As bebidas doces aumentam o nível de glicemia de jejum e resistência à insulina.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Sob Nova Direção

Com unanimidade de votos, foi eleita, nesta quinta-feira (15), a nova presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Márcia Cristina Krempel. Os noves membros titulares do Plenário do Cofen elegeram também a nova diretoria para o período 2012/2015. A eleição ocorreu na sede da Autarquia, em Brasília-DF.
Segue abaixo o resultado da eleição interna para a Diretoria do Cofen:
Presidente: Márcia Cristina Krempel (PR)
Vice-Presidente: Osvaldo Albuquerque (CE)
Primeiro-Secretário: Gelson Luiz de Albuquerque (SC)
Segundo-Secretário: Irene do Carmo Alves Ferreira (SE)
Primeiro- Tesoureiro: Antônio Marcos Freire Gomes (PA)
Segundo- Tesoureiro: Jebson Medeiros de Souza (AC)




Natural de Londrina (PR). Bacharel e licenciada em Enfermagem e Obstetrícia em1978, pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Complementou sua formação acadêmica realizando os cursos de:Especialização em Enfermagem em Saúde Pública (PUC-PR), Especialização em Administração Hospitalar (Faculdades SãoCamilo), especialização em Metodologias do Ensino Superior (PUC-PR) e Especialização em Vigilância Sanitária (FundaçãoOsvaldo Cruz – FIOCRUZ). Realizou ainda, Mestrado em Tecnologias aplicadas a Saúde (PUC-PR) em 2005/2006 e o MBAem Gestão Estratégica de Organizações na Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2008/2009.Iniciou sua carreira profissionalcomo Enfermeira assistencial da Pediatria do Hospital Evangélico de Londrina/Pr. Ao transferir residência para Curitiba – PRlaborou como docente no curso de Enfermagem da PUC-PR de 1979 a 1992, ministrando as disciplinas de Enfermagem emDoenças Transmissíveis, Epidemiologia e Saúde Pública. Em 1988 aprovada no concurso público da Prefeitura Municipal deCuritiba, percorreu diversos cargos e funções, desde a chefia de Unidade Básica de Saúde, Coordenação da Vigilância Sanitáriade Produtos e Serviços de Saúde, Direção da Promoção à Saúde e Programa Municipal de Prevenção e Controle da Dengueaté sua aposentadoria em 2011.Está como Conselheira Suplente do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) na Gestão2009/2012.  

Fonte_COFEN

Enfermagem de Luto


Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida.
Aquele que crê em mim ainda que morto viverá.
E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá....João 11:25-26

O blog faz uma Uma homenagem póstuma a Maria Edite da Silva, uma excelente  Trabalhadora da Enfermagem, mãe amiga e dedicada que sempre passou valores de vida a seus amigos e familiares. Uma profissional competente, presente, e acima de tudo comprometida com a excelência em exercer sua função dentro e fora da Maternidade de Cruzeiro do Sul.
Saudades..... 
Se nós sentimos? Nem sei como responder, pois por incrível que pareça, ela sempre permanecerá aqui conosco em nossos corações. Sua presença não pode mais ser vista aos nossos olhos, mais os seus ensinamentos, esse sim, perpetuara até os restos de nossas vidas. Fica aqui a minha saudade e a saudade de toda nossa família. Aos familiares de Dona Elizabeht, o meu mais profundos sentimentos e a certeza de que o céu do Senhor ganhou mais uma ESTRELA.....

Luto

Há horas em nossa vida que somos tomados por uma enorme sensação de inutilidade, de vazio. Questionamos o porque de nossa existência e nada parece fazer sentido. Concentramos nossa atenção no lado mais cruel da vida, aquele que é implacável e a todos afeta indistintamente: as perdas do ser humano.

O blog faz uma Uma homenagem póstuma a Messias Nascimento de Lima, um excelente pai, amigo dedicado que sempre passou valores de vida a seus semelhantes e familiares. Uma profissional competente, presente, e acima de tudo comprometida com a excelência em exercer sua função. Saldades........

quarta-feira, 14 de março de 2012

Na Defesa da Saúde Pública

No dia 13 de Março de 2012, na sede do Conselho de Psicologia, em Brasilia - DF, numa historica reunião de ampla participação das entidades representativas da sociedade brasileira, firmou-se o início do MOVIMENTO NACIONAL EM DEFESA DA SAÚDE PÚBLICA.
O objetivo desse movimento é a coleta de assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular que assegure o repasse efetivo e integral de 10% das receitas correntes brutas da União para a saúde pública brasileira, alterando, dessa forma, a Lei Complementar no 141, de 13 de janeiro de 2012.
Essa iniciativa visa agregar, de maneira contínua e crescente, as entidades organizadas e as diversas instituições, abrangendo toda a nossa sociedade, nas cidades e no campo, e, principalmente, cada cidadã e cada cidadão brasileiros, no esforço cívico de encaminhar à Câmara Federal o mínimo de 1,5 milhão de assinaturas para a execução do citado projeto de lei de iniciativa popular, que é uma conquista popular garantida na Carta Magna brasileira.
Entende-se que a justeza dessa proposição alcançará milhões de mentes e consciências, numa ampla mobilização nacional, de caráter suprapartidário, exigindo a definitiva priorização da saúde como bem maior de uma nação soberana, que cuida do seu povo e garante os seus direitos constitucionais. Fundamentalmente, firmará o compromisso de toda a sociedade no decisivo controle social da saúde, que exige a transparência e a correta aplicação desses recursos no Sistema Único de Saúde – SUS garantindo um sistema justo e de qualidade para o povo brasileiro.
Num sentido organizativo, o MOVIMENTO NACIONAL EM DEFESA DA SAÚDE PÚBLICA definiu por uma coordenação nacional inicial composta pelas representações:
Ordem dos Advogados do Brasil – OAB,
Associação Médica Brasileira – AMB,
Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde – CONASS,
Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde – CONASEMS,
Fórum Sindical dos Trabalhadores – FST,
Força Sindical,
Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde – CNTS,
Federação Nacional dos Farmacêuticos – FENAFAR,
Pastoral da Saúde,
Conselho Nacional de Saúde – CNS e
Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte – CMSBH, que deverá divulgar amplamente essa iniciativa e prestará as devidas informações nas suas páginas da internet (até o desenvolvimento do site oficial do movimento), responsabilizando-se pelo recolhimento das matrizes originais da ementa do Projeto de Lei de Iniciativa Popular oriundas de todos os estados da federação.
Fica orientada, nesse sentido, a construção de coordenações estaduais e municipais desse movimento, garantindo o êxito da coleta e da remessa dessas matrizes. A exigência legal da inscrição dos dados do título eleitoral de cada signatário é imprescindível para a lisura da proposição e não deverão ser poupados esforços e criatividade para essa finalidade, bem como um conjunto de atividades que propiciem esse debate, num caráter de esclarecimento dessa ação e das condições da saúde pública brasileira.
Buscando a sua necessária visibilidade e amplitude, o MOVIMENTO NACIONAL EM DEFESA DA SAÚDE PÚBLICA promoverá um ato do seu lançamento formal na sede da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, no próximo dia 17 de abril, às 14 horas, em Brasília – DF, onde estarão presentes as nossas principais lideranças nacionais, bem como as diversas representações que compõem e comporão esse movimento.
Assinam inicialmente esse manifesto: UNE – OAB – CONTAG – CONASEMS – CONASS – CONAM – ABRALE – FENAM – FENAFAR – ONG MULHERES NEGRAS/MOVIMENTO NEGRO – AMB – NCST – CNPL – FST/DIAP – CRP 01 – FBASD – ABRAZ – MBHV – CFN – FENACEBRA – CSPB – CFP – FIO – CFFa – CMS Belo Horizonte – ABRA – LBL – FNE – CNS – FORÇA SINDICAL - PASTORAL DA SAÚDE – CMS Fortaleza – FBNOPSI – MOPEM – CMP – CNTS
 
Documentos da Campanha:
 
- Análise da conjuntura do financiamento público federal de saúde no Brasil
 
- Formulário de coleta de assinaturas
 
- Os números da saúde e de seu financiamento no Brasil
 
- Histórico da EC 29
 
- Manifesto Inicial - Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública
 
- Memoria - Reunião GT 10% 13.3.2012
 
- Proposta de PL

terça-feira, 13 de março de 2012

SUSperando

O Ministério da Saúde Alexandre Padilha anunciou a inclusão de mais um exame (eletroforese de hemoglobina) no pré-natal das mamães. Mulheres que fazem acompanhamento do pré-natal no Sistema Único de Saúde (SUS) dispõem atualmente de 23 exames.

O exame serve para detectar a anemia falciforme, doença mais prevalente em mulheres negras. “Esses são um dos casos importantes que aumentam o risco de mortalidade materna entre mulheres negras. E as gestantes só descobrem durante o pré-natal ou já no momento do parto e não tomam alguns cuidados”, explicou o ministro.

A incorporação do exame, de acordo com a pasta, deve gerar um impacto de R$ 12 milhões ao ano em investimentos do programa Rede Cegonha.
Outra medida anunciada pelo ministério trata da definição de gestante de alto risco. Segundo Padilha, até então, os profissionais de saúde consideravam apenas condições clínicas apresentadas pelas mulheres durante a gravidez.
“Estamos incorporando o conceito de risco social, exatamente por causa de experiências que construímos em outros municípios”, disse, ao ressaltar, por exemplo, que mulheres negras, adolescentes grávidas, mulheres dependentes químicas e extremamente pobres devem ser consideradas com um alto risco de mortalidade materna.
Fonte_Paula Laboissière_Agência Brasil

Prospecção de Gás e Petróleo no Juruá

Historiando
A palavra petróleo vem do latim, petra e oleum, correspondendo à expressão “pedra de óleo”. O petróleo ocorre na natureza ocupando vazios, existentes entre os grãos de areia na rocha, ou pequenas fendas com intercomunicação, ou mesmo cavidades também interligadas. Estudos arqueológicos mostram que a utilização do petróleo iniciou-se 4.000 anos antes de Cristo, sob diferentes denominações, tais como betume, asfalto, alcatrão, lama, resina, azeite, nafta, óleo de São Quirino, nafta da Pérsia, entre outras. O petróleo é conhecido desde tempos remotos, foi utilizado por hebreus para acender fogueiras, nos altares onde eram realizados sacrifícios, por Nabucodonosor, que pavimentava estradas na Babilônia, pelos egípcios na construção de pirâmides e conservação de múmias, além do uso como combustível para iluminação por vários povos. Os gregos e romanos embebiam lanças incendiárias com betume, para atacar as muralhas inimigas. Após o declínio do Império Romano, os árabes também o empregaram com a mesma finalidade. Há relatos de que, quando os espanhóis chegaram na América, Pizarro deu conta da existência de uma destilaria que era operada por incas. Supõe-se que o líquido citado representava resíduo de petróleo encontrado na superfície. A moderna era do petróleo teve início em meados do século XIX, quando um norte-americano conhecido como Coronel Drake encontrou petróleo a cerca de 20 metros de profundidade no oeste da Pensilvânia, utilizando uma máquina perfuratriz para a construção do poço. Os principais objetivos eram então a obtenção de querosene e lubrificantes. Nessa época, a gasolina resultante da destilação era lançada aos rios ou queimada, ou misturada no querosene, por ser um explosivo perigoso. Entretanto, a grande revolução do petróleo ocorreu com a invenção dos motores de combustão interna e a produção de automóveis em grande escala, que deram à gasolina (obtida a partir do refino do petróleo) uma utilidade mais nobre.

Algumas pessoas dizem que o dinheiro faz o mundo girar. Outras acreditam que o ingrediente essencial é o amor, ou até a música. Mas o que quer que leve a humanidade a persistir dia após dia, nossa dependência quanto aos combustíveis fósseis deixa uma certeza: a graxa que lubrifica o giro do planeta é o petróleo.
Consumimos mais de 80 milhões de barris de petróleo ao dia. Para atender a essa demanda por combustíveis fósseis, as empresas petroleiras vasculham constantemente o planeta em busca de novas reservas. Como os oceanos recobrem três quartos da superfície da Terra, boa parte dessas reservas está sob a água.
A descoberta de uma jazida de petróleo em uma nova área é uma tarefa que envolve um longo e dispendioso estudo e análise de dados geofísicos e geológicos das bacias sedimentares.
Os geológicos e geofísicos decidem propor a perfuração de um poço, que é a etapa que mais investimentos exige em todo o processo de prospecção.
Um programa de prospecção visa fundamentalmente a dois objetivos:
(1) localizar dentro de uma bacia sedimentar as situações geológicas que tenham condições para a acumulação de petróleo;
(2) verificar qual, dentre estas situações, possui mais chance de conter petróleo.
A identificação de uma área favorável à acumulação de petróleo é realizada através de métodos geológicos e geofísicos, que, atuando em conjunto, conseguem indicar o local mais propicio para a perfuração. O programa desenvolvido durante a fase de prospecção fornece uma quantidade muito grande de informações técnicas.

Click aqui e leia as ultimas informações dos trabalhos que será realizado na Prospeccção de petróleo no Vale do Juruá, e clicando aqui leia a entrevista coletiva do Governador Tião Viana garantindo que serão tomados todos os cuidados necessários na prospecção e possível futura exploração de petróleo na região.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Rede Cegonha

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, juntamente com o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Fontes Hereda, assinaram, nesta quinta-feira (8), contrato que garantirá a todas as gestantes atendidas no Sistema Único de Saúde (SUS) o benefício (até R$ 50,00) de apoio ao deslocamento para realização das consultas de pré-natal e para o parto. A partir de sexta-feira (9), o sistema já estará disponível para que os municípios solicitem a senha de acesso. Outra novidade anunciada pelo ministro Padilha é a inclusão do exame de eletroforese de hemoglobina para detecção da anemia falciforme, mais prevalente nas mulheres negras. A incorporação deste exame irá gerar impacto de R$ 12 milhões, por ano, em investimentos da Rede Cegonha.
Em 2012, um milhão de gestantes (mais de 40% das gestantes usuárias do SUS) devem receber o benefício. Até 2013, a meta é alcançar todas as grávidas (2,4 milhões).”A proposta do auxílio foi aprendida com municípios que já concediam esse benefício, mostrando que essa ação aumentava a adesão das mulheres aos pré-natal”, explicou o ministro Padilha.
Por meio da Rede Cegonha, o Ministério da Saúde tem investido em medidas para evitar atitudes discriminatórias e violentas contra as mulheres. Essas medidas incluem a qualificação do atendimento no parto e ao nascimento, de forma humanizada, e através da qualificação das maternidades. Também preveem o acompanhamento das gestantes e identificação dos riscos social e clínico. As mulheres negras têm como principais causas de óbito materno hipertensão e hemorragias. “Não podemos permitir qualquer prática de racismonos serviços de saúde”, enfatizou o ministro.
O Ministério da Saúde também tem capacitado profissionais e qualificando serviços que atendem as mulheres em situação de violência. O SUS conta atualmente com 552 serviços de atenção às mulheres em situação de violência doméstica e sexual e 64 serviços para a realização de aborto legal. “Parte desses investimentos são recursos, mas uma grande parte é destinada à qualificação. É imprescindível a educação permanente dessas equipes. A partir da notificação compulsória vamos ter condições melhores para identificar onde precisamos expandir e qualificar os serviços, sobretudo na humanização desse atendimento”, afirmou Alexandre Padilha.
REDE CEGONHA – A Rede Cegonha, lançada em 2011 pelo governo federal, vem qualificando a assistência prestada às gestantes no SUS. A estratégia já conta com R$ 239 milhões para propostas apresentadas por estados e municípios. Dentro da estratégia existem ações que também visam melhorar a assistência às mulheres negras, quilombolas e adolescentes.  A Rede Cegonha incluiu o exame de eletroforese de hemoglobina para todas as gestantes como rotina, com o objetivo de melhorar o diagnóstico e tratamento. Essa ação privilegia mulheres negras pelo fato de anemia falciforme ser mais prevalente nelas. O objetivo é melhorar detecção e tratamento. “O primeiro esforço da Rede Cegonha já foi observado com a redução da mortalidade materna. Reconhecemos que apesar da redução ainda estamos longe de cumprir o objetivo do milênio, mas é uma sinalização de que é possível avançar com a ajuda da sociedade e o compromisso dos gestores públicos”, ressaltou Padilha.
A Rede Cegonha também capacitará, ainda neste ano, as parteiras quilombolas para qualificar a atenção ao parto e nascimento, que também receberão os kits parteiras. O Ministério da Saúde já comprou 1.680 kits para parteiras tradicionais e parte dos kits irá para as quilombolas.
Para as adolescentes, o benefício importante é a inclusão do teste rápido de gravidez no SUS e o encaminhamento para orientação sobre gravidez indesejada, seja nas Unidades Básicas de Saúde ou por meio do Programa Saúde na Escola. Todas as mulheres também serão beneficiadas pelo sistema que melhora o acompanhamento das gestantes de risco.
BENEFÍCIO -Todas as gestantes que estão fazendo o pré-natal no Sistema Único de Saúde poderão receber o valor de até R$ 50 reais. Para isso, os municípios devem estar inseridos na estratégia Rede Cegonha e ter implantado o SISPRENATAL WEB. Até o momento, 23 estados e 1.685 municípios já iniciaram o processo de adesão à estratégia. Na primeira consulta de pré-natal, a gestante deverá assinar o requerimento que autoriza o pagamento do apoio deslocamento.
O benefício será pago em duas parcelas de R$ 25 reais. Para receber o valor integral (R$ 50,00), a gestante deverá fazer o requerimento até a 16ª semana de gestação. A segunda parcela será paga após a 30ª semana de gravidez. As gestantes que solicitarem o benefício após 16ª semana de gestação só terão o direito a uma parcela de R$ 25 reais.
Todas as gestantes que são beneficiárias de algum programa social federal, como por exemplo, Bolsa Família, Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem), dentre outros, e que são titulares de algum cartão magnético específico destes programas, receberão o benefício utilizando o mesmo cartão. As que já possuem o Cartão do Cidadão, emitido pela Caixa Econômica Federal, receberão o benefício através deste cartão.
As que não possuem nenhum cartão social receberão o Cartão do Cidadão que será enviado pela Caixa Econômica Federal para o endereço cadastrado no SISPRENATAL WEB. O calendário de pagamento deste benefício segue ao calendário de Pagamentos do Programa Bolsa Família, cujas datas são definidas de acordo com o último número do cartão. (Consulte aqui o calendário).
A gestante poderá sacar o benefício em qualquer um dos terminais de autoatendimento, correspondentes CAIXA AQUI lotéricos e não lotéricos e Agências da Caixa Econômica Federal, dentro do horário de funcionamento de cada unidade.
Para outras informações, os municípios e as gestantes podem ligar na Ouvidoria do Ministério da Saúde (136) para se informar. Para dúvidas referentes ao Cartão Cidadão, as informações poderão ser obtidas pelo telefone 0800 726 0101.
HOMENAGEM – Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, também homenageia hoje três instituições que realizaram campanha e projetos exitosos de saúde da mulher e de mulheres em situação de violência.
A Rede pela Humanização do Parto e Nascimento (ReHuNa) será homenageada pelo seu movimento denominado “humanização do parto/nascimento”. Esse movimento pretende diminuir as intervenções desnecessárias e promover um cuidado ao processo de gravidez, parto, nascimento e amamentação baseado na compreensão do processo natural e fisiológico.
Outra instituição que será homenageada é a Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, que é responsável no Brasil, desde 2010, pela campanha “Ponto Final na Violência contra as Mulheres e Meninas”, juntamente com a Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG) e Coletivo Feminino Plural. Dentre os objetivos da iniciativa está a mudança de atitudes e crenças sociais relacionadas à discriminação, desigualdades e inequidades de gênero que promovem a violência contra as mulheres.
A campanha criada e produzida pela Rede de Desenvolvimento Humano (REDEH) e o Instituto Magna Mater (IMM), “Quem Ama Abraça”, veiculada em 2011, também será uma das homenageadas. O foco da campanha era dar visibilidade à questão da violência contra a mulher e demonstrar como o seu enfrentamento é fundamental para a construção de uma cultura de paz na sociedade. “Precisamos acima de tudo do trabalho e envolvimento da sociedade civil e organizada brasileira, para que acompanhe, monitore, denuncie as violências que existe no nosso país ou não vamos dar um salto que precisamos para a qualificação desses serviços no SUS”, finalizou o Ministro.
Fonte_Tinna Oliveira_Agência Saúde.

Saúde da Mulher

Mulheres que fazem acompanhamento do pré-natal no Sistema Único de Saúde (SUS) dispõem atualmente de 23 exames, sendo que 14 deles foram acrescidos à lista com a implantação da Rede Cegonha, lançada pelo governo federal em 2011. Mesmo com esta cobertura, os cuidados para garantir uma gravidez saudável devem começar antes da fecundação, alerta o Ministério da Saúde durante a semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher.  Em 2011, foram realizadas cerca de 20 milhões de consultas pré-natais pelo SUS, o que equivale a alta de 133% em relação aos 8,6 milhões de procedimentos de 2003.
Exames globais para investigar anemia, problemas de pressão e de tireóide são fundamentais. “Além disso, é preciso investigar as doenças sexualmente transmissíveis. Nesse caso, o parceiro também deve ser examinado”, afirma a coordenadora nacional da Saúde da Mulher, Esther Vilela.
A infecção por rubéola na gravidez pode acarretar em inúmeras complicações para os recém-nascidos, como malformações congênitas. A vacina dupla viral, disponível na rede pública, é eficaz contra sarampo, rubéola e caxumba. “Para quem não está grávida, a rubéola é relativamente simples. Do contrário, pode levar ao óbito do feto”, afirma.
Para evitar malformação da medula óssea e da meninge – membrana que reveste e protege o Sistema Nervoso Central (SVC),é recomendado fazer uso de ácido fólico três meses antes de engravidar. Os cuidados com a alimentação também devem ser anteriores à gravidez. “O ideal é que a mulher alimente-se corretamente. O cardápio precisa ser rico em frutas, vegetais e proteínas de alta qualidade. Gorduras e produtos industrializados devem ser evitados, além das bebidas alcoólicas, do fumo, uso de drogas e café”, alerta a coordenadora nacional da Saúde da Mulher, Esther Vilela.
Alimentos crus -O risco de contaminação por toxoplasmose exige atenção redobrada no consumo de alimentos crus ou mal cozidos, como vegetais ou carnes, principalmente quando os procedimentos de higienização são desconhecidos. “Os problemas são variados e podem ser transmitidos ao feto. Há possibilidade de cegueira e microcefalia – quando não há desenvolvimento completo do cérebro ou da caixa craniana, por exemplo”.
Estética – A maior capacidade de desenvolver alergias durante a gestação restringe o uso de produtos cosméticos. Produtos com ácido retinoico e vitamina A na fórmula, por exemplo, não podem ser usados.  Escova progressiva, alisamentos e tinturas também devem ser evitados. “Toda escova progressiva tem formol. Não tem como fugir disso. Esses são produtos com potencial tóxico. Há uma hipersensibilização neste período. Então, o recomendado é deixar de usar”, afirma a coordenadora nacional da Saúde da Mulher.
Atividades físicas – Na gravidez, o exercício físico deve ser leve ou moderado. A rotina de atividades depende do perfil de cada gestante. “Se a mulher nunca fez atividade física, não é recomendado que de uma hora para outra ela passe a fazer. É preciso ter cuidado para que seja de maneira gradual e suave”, explica Esther Vilela.
As caminhadas são uma boa opção, pois ativam a circulação, principalmente das pernas, e auxiliam o processo digestivo. “A mulher precisa encontrar um exercício prazeroso e que traga tranquilidade. Além disso, é importante evitar movimentos bruscos e abdominais”.
Exames solicitados para acompanhamento pré-natal:
• Grupo sanguíneo e fator Rh (quando não realizado anteriormente);
• Sorologia para sífilis (VDRL)
• Urina tipo I
• Hemoglobina e hematócrito (Hb/Ht);
• Glicemia de jejum
• Teste anti-HIV com aconselhamento pré-teste e consentimento da mulher
• Sorologia para hepatite B (HBsAg)
• Sorologia para toxoplasmose
• Colpocitologia oncótica, quando houver indicação.
Com a Rede Cegonha, foram acrescidos os seguintes exames:
•Teste rápido de gravidez
•Teste rápido de sífilis
•Teste rápido de HIV
•Cultura de bactérias para identificação (urina)
•Acréscimo de mais um exame de hematócrito, hemoglobina
•Ampliação do ultrassom obstétrico para 100% das gestantes
•Proteinúria (teste rápido)
•Teste indireto de antiglobulina humana (TIA) para gestantes que apresentarem RH negativo
Exames adicionais para gestantes de alto-risco:

•Contagem de plaquetas
•Dosagem de proteínas (urina 24 horas)
•Dosagens de uréia, creatinina e ácido úrico
•Eletrocardiograma
•Ultrassom obstétrico com Doppler
•Cardiotocografia ante-parto

Fonte_Thássia Alves_Agência Saúde

sexta-feira, 2 de março de 2012

Cartão do SUS

A partir desta quinta-feira (01) os estabelecimentos de saúde públicos ou conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) passam a registrar número do Cartão Nacional de Saúde (CNS) nos formulários de atendimento. Objetivo é que histórico médico dos pacientes esteja reunido em uma única base nacional de dados.
Inicialmente, este registro será feito para atendimentos considerados de média e alta complexidade, como internações, transplantes, quimioterapia, hemodiálise, entre outros. Este número será cadastrado por um profissional do estabelecimento de saúde (ambulatorial ou hospitalar) em que o paciente for atendido. Em caso de internação, o registro deverá ser feito até a alta hospitalar; ou seja, a assistência ao paciente que ainda não possuir o número do Cartão deverá ser prestada sem qualquer prejuízo ao atendimento.
A meta do Governo Federal é que todos os brasileiros tenham o Cartão Nacional de Saúde ou o número do documento até 2014. O objetivo é que o histórico dos atendimentos prestados ao paciente esteja registrado em uma única base nacional de dados, permitindo o acesso a estas informações por qualquer unidade de saúde.
“Nos casos em que o paciente não souber informar o número do Cartão, a unidade de saúde deverá fazer a consulta deste número no site do Departamento de Informática do SUS (Datasus)”, explica o secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro. “Este registro é extremamente importante porque, a partir das informações reunidas no CNS, poderemos acompanhar melhor a saúde dos pacientes e garantir uma atenção ainda mais adequada aos brasileiros que utilizam a rede pública de saúde. Além disso, poderemos organizar ainda mais a rede de atendimento e a oferta dos serviços de saúde em todo o país”, afirma Odorico.
O prazo para início da obrigatoriedade do registro do número do CNS nos formulários de atendimento foi definido em julho do ano passado, por meio da Portaria 763/11, quando foi estabelecido um período para que os gestores do SUS se adaptassem a esta nova diretriz de gestão. A medida faz parte do esforço do Ministério da Saúde em oferecer atendimento integral ao cidadão e acompanhar a qualidade dos serviços prestados pelas unidades públicas de saúde. “Este é mais um grande passo no processo de consolidação de uma articulada rede de assistência aos brasileiros”, completa Monteiro.
Plano de Saúde – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai definir, junto com o Ministério da Saúde e as operadoras de planos de saúde, o formato mais adequado para que as seguradoras façam o registro de seus usuários no cadastro do Cartão Nacional de Saúde (CNS). A ANS reforça que o atendimento a todos os beneficiários de planos de saúde está garantido independentemente da apresentação ou não do número do CNS.

Campanha

Campanha