quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Procedimentos para antes do SAMU chegar

Em caso de acidente ou mal súbito, a primeira coisa a ser feita é chamar o SAMU, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.Mas enquanto o socorro não chega, você pode agir para tentar salvar a vida da vítima.
 
O coordenador de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde, Paulo de Tarso, explica que para isso é preciso perguntar o que fazer ao médico que atendeu o telefonema no número do SAMU, o 192. ”Quando ligou para a central e o médico orientou, e se ele não deu essa orientação a pessoa tem que perguntar: Doutor, até que a ambulância chegue eu posso fazer o que? É um trauma? Ele vai dizer: não mexa na vítima porque pode causar uma sequela.
 
Se é um acidente de carro que tem líquido vazando tenta tirar a pessoa porque pode haver uma explosão. Quando é um caso clínico, ele orienta se deixa a vítima de lado, ou se deixa a vítima de bruços. Para cada caso tem uma série de orientações que a pessoa que está junto com aquela vítima, com aquele paciente, possa fazer até que a ambulância do SAMU chegue.”
 
Foi assim que o funcionário público Rogério Rocha salvou a vida do pai de 63 anos no ano passado. O aposentado Roldão Ambróseo teve uma crise de asma e simplesmente parou de respirar. ”Ele estava em casa, começou a passar mal, só que em um período muito curto de dez a quinze minutos, o estado dele foi se agravando, começou a apresentar rochidão nos lábios, na língua, nas extremidades dos dedos. Pedi para a minha irmã entrar em contato com o SAMU e ela ia orientando para o SAMU o que estava acontecendo com ele, até que ele parou de respirar. Imediatamente, sem muita técnica eu lembrei dos procedimentos de respiração boca-a-boca e fui fazendo a respiração, até que ele voltou a respirar. Mas graças a Deus, nesse momento que ele voltou a respirar, o SAMU apareceu e já estava sabendo o que estava acontecendo e já chegou com oxigênio e colocou nele.”
O SAMU está presente em todos os estados do País em quase dois mil municípios e atende hoje a 65 por cento da população brasileira, segundo dados do IBGE. Implantado em 2003 pelo Ministério da Saúde, o SAMU é um dos serviços disponíveis na Política Nacional de Atenção às Urgências do ministério.
 
Qualquer pessoa que presenciar um acidente ou vir alguém passando mal pode pedir socorro ao SAMU pelo telefone 192.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Piso Salarial


A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania - CCJC designou o Deputado Arnaldo Faria de Sá - PTB-SP como relator do Projeto de Lei 4924/09 que fixa o piso salarial de enfermeiros em R$ 4.650 e que tramita em caráter conclusivo na Comissão.

Em abril deste ano, a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 4924/09, do deputado Mauro Nazif - PSB-RO.

Por sugestão do relator na referida comissão, deputado Assis Melo - PCdoB-RS, os deputados da Comissão do Trabalho, de administração e Serviço Publico - CTASP também acolheram emenda anteriormente aprovada pela Comissão de Seguridade Social e Família - CSSF, que fixa o salário dos técnicos de enfermagem em 70% do piso (R$ 3.255), em vez dos 50% previstos no projeto original.

O texto aprovado também aumenta o percentual previsto para auxiliares de enfermagem e parteiras. No projeto original eles receberiam 40% do salário do enfermeiro.

"Sabemos que um piso salarial digno desestimula que os trabalhadores mantenham diversos empregos em detrimento da saúde deles e de seus pacientes. Nossa realidade demonstra que grande parte dos profissionais da saúde se submete a longas jornadas e a múltiplos vínculos contratuais", disse Assis Melo.

Click aqui e acompanhe a preposição.

sábado, 18 de agosto de 2012

30 horas!!!


As Deputadas Federais Rosane Ferreira (Paraná) e Carmen Zanotto (Santa Catarina) tem em comum o fato de serem Enfermeiras e, portanto, possuírem um olhar diferenciado sobre as questões de saúde. Mais especificamente sobre os Projetos de Lei que interessam à categoria.

Para uma audiência atenta, que lotou a sala Iracema, as deputadas explicaram que para um Projeto de Lei tramitar na Câmara dos Deputados, entrar em pauta de votação e virar lei, além da vontade da categoria - que hoje soma mais de 1,8 milhão de Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares - é preciso contar com o comprometimento dos Deputados da Casa.

As palestrantes citaram como exemplo o que aconteceu com o PL 2295 que regulamenta às 30 horas precisou de acordo de líderes para entrar em pauta de votação, mas no dia de ser apreciado não contou com o comprometimento dos deputados e não teve quórum para ser aprovado. Agora, como é ano eleitoral, dificilmente será votado nos próximos meses. Segundo a Deputada Rosane Ferreira “O que se viu foi muito decepcionante. Tivemos casos de deputados que costumavam discursar a favor da categoria e que na hora de dar a presença e votar o projeto se omitiram”. A Deputada Carmen Zanotto salientou que isto prova que “é preciso que a categoria eleja mais deputados comprometidos com as nossas causas. Precisamos ter mais força política para conquistar estas demandas e nos posicionarmos contrários ao que nos prejudica”.

Hoje os projetos de lei das 30 Horas e do Piso Salarial já tramitaram por todas as Comissões e se encontram aptos para serem votados. Questões relevantes como a Residência da Enfermagem, o Ato Médico e o Projeto de Lei do Cuidador do Idoso também afetam a categoria. Para o Vice-Presidente do COFEN, Osvaldo Albuquerque Filho, que mediou o debate, “a grande discussão hoje é que existem muitas matérias do interesse da enfermagem mas que só teremos eficácia na aprovação destes Projetos quando tivermos mais deputados Enfermeiros que abracem nossas causas. Precisamos avançar e escolher  pessoas que nos representem de verdade. Que conheçam a nossa realidade”.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Atualização das Cadernetas de Vacinação

De 18 a 24 deste mês, uma campanha nacional faz o chamamento para que pais e responsáveis de crianças com até 5 anos de idade procurem as unidades de saúde e postos de vacinação para a atualização do esquema vacinal, com todas as vacinas do calendário básico. Esse tipo de mobilização garante o aumento das coberturas de rotina, com desempenho favorável para as metas definidas pelo Ministério da Saúde.
Crianças menores de 5 anos de idade deverão ser levadas a um posto de vacinação para que a caderneta de saúde seja avaliada e o esquema vacinal, atualizado. Estarão disponíveis para essa ação todas as vacinas do calendário básico da criança. São elas: a BCG, hepatite B, pentavalente, Vacina Inativada Poliomielite (VIP), Vacina Oral Poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche).

A população rural está sendo atendida de casa em casa. A campanha é realizada em conjunto com programas de agente comunitário de saúde e programa de saúde da família. O PNI/AC também irá monitorar cobertura vacinal e acompanhar o fluxo de vacinação em todo o Estado para detectar e resolver falhas que possam atrapalhar a imunização dessas crianças. Em doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro, com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações.

A coordenação do Programa Nacional de Imunização lembra que todos os centros de saúde mantêm também a vacina contra a hepatite B para pessoas até 29 anos e populações vulneráveis, e incentivo ao teste rápido para as hepatites B e C.

Pentavalente, Vacina Inativada Poliomielite (VIP) e Vitamina A – Crianças menores de 5 anos receberão a vacina pentavalente em substituição à tetravalente. É injetável e atua contra difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus influenzae tipo b (meningite e outras doenças bacterianas) - e a vacina contra a hepatite B. A Vacina Inativada Poliomielite também é injetável e tem maior cobertura contra a doença.

A novidade desta campanha é a suplementação da vitamina A para crianças com idade entre 6 meses e 5 anos incompletos. A ação integra o projeto Brasil Carinhoso, que prioriza as regiões Norte, Nordeste e parte do Estado de Minas Gerais. A vitamina A auxilia na redução de infecções e da morbimortalidade infantil e contribui para a saúde da visão e o pleno desenvolvimento cognitivo. A criança deve receber duas doses anuais (não-injetáveis) - uma a cada seis meses.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Primeiros Socorros Fundamental

As escolas públicas de ensino fundamental e médio do Acre deverão ensinar técnicas de primeiros socorros, que correspondem à primeira ajuda ou assistência dada uma vítima de acidente ou doença súbita antes da chegada do médico ou de uma ambulância.

É o que prevê uma lei sancionada hoje (10) pelo governador Sebastião Viana.

A Secretaria de Estado de Educação ficará responsável pela ministração para que crianças e adolescentes saibam como agir diante de queimaduras, fraturas, males súbitos e outros acidentes que exigem intervenção imediata e que o ensino das técnicas de ação nessas situações, restritas a determinadas profissões, pode motivar a busca de novas informações pela população sobre saúde e bem estar.

De acordo com a lei, as aulas de noções básicas de primeiros socorros não serão avaliadas como matéria curricular, e sim, como conhecimento extremamente útil aos alunos e a sociedade.

Campanha

Campanha