quarta-feira, 30 de março de 2016

Disque-Câmara

Em 2015, a Central de Comunicação Interativa, responsável pelo Disque-Câmara (0800619619) e pelo Fale Conosco do Portal (faleconosco.camara.leg.br), realizou 205.985 atendimentos aos cidadãos, que incluem manifestações sobre matérias em tramitação na Casa, mensagens aos parlamentares, sugestões, reclamações e elogios.
A proposição mais solicitada foi o PL 2295/2000, que estabelece a jornada dos profissionais de enfermagem em seis horas diárias e trinta horas semanais. Em 2009, o projeto recebeu pareceres favoráveis nas comissões e, desde então, está pronto para votação no Plenário.
Em segundo lugar, ficou a PEC 443/2009, que vincula a remuneração das carreiras de advogado-geral da União, delegado das Polícias Civil e Federal e procurador municipal a 90,25% dos subsídios dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).  Sob grande mobilização das carreiras atingidas, a PEC foi aprovada em primeiro turno em agosto de 2015.
A terceira proposição em manifestações foi a PEC 534/2002, que regula as competências da guarda municipal e cria a guarda nacional. A proposição aguarda inclusão na pauta do Plenário.
Fonte: Câmara dos Deputados (editada)

sexta-feira, 25 de março de 2016

Projeto Gênios - Realizando Sonhos...

Sônia, Soninha ou fada madrinha? A enfermeira Sonia de Azambuja Cabral, 55 anos, atende pelos três nomes desde 2014, quando criou o projeto Gênios, que realiza os desejos de crianças internadas no Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, em Joinville
  O exemplo de ajudar os pequenos vem da infância de Sônia, quando seu pai organizava festas para vizinhos e parentes no dia das crianças e entregava presentes para todos. Mas a inspiração para o projeto atual surgiu em 2013, a partir da leitura do best-seller juvenil A culpa é das estrelas, que tem um grupo que concede desejos a pessoas com doenças terminais. 
– Sempre quis levar alegria para as crianças, mas já tinham os palhaços e contadores de histórias. Queria algo diferente – conta. 
O projeto começou com duas fadas, hoje são seis. Vestidas a caráter, as mulheres vão ao hospital infantil uma vez por mês, envoltas em bolhas de sabão, alegria e levam desenhos para colorir. Elas pedem que as crianças escrevam qual o desejo delas para ser lido depois. Além de carrinhos e bonecas, camisas de time e até videogame, muitos pedem para voltar para casa ou por saúde. Nestes casos, o trabalho consiste em oferecer visitas a criança.
Há ainda os desejos inusitados, como a menina de seis anos que pediu um bolo ou o menino que queria ir ao cinema. Todos os pedidos são atendidos, porém alguns mais complicados podem demorar mais. Como é o caso do menino de um ano e meio que pediu uma surpresa e está tirando o sono da fada madrinha. Ou ainda a garotinha com um tumor no fígado que pediu um cavalinho de pelúcia, que não foi encontrado em nenhuma loja. A solução foi encomendar pela internet. 
Quem ajuda na compra dos presentes são as outras fadas e voluntários que ficam sabendo dos pedidos no boca a boca, pelo Facebook ou por meio de rifas. A entrega é feita pelas fadas na casa da criança, quando ela recebe alta. No primeiro ano, foram cerca de 100 sonhos realizados. 
A atuação das fadas vai além dos pequenos. Ao visitar as famílias, muitas vezes descobrem outras necessidades e é comum a doação de alimentos e roupas. A grande fada madrinha de toda essa história também teu um grande pedido: sonha ter uma sede própria, que seria o jardim encantado, onde receberia as crianças e faria a entrega dos desejos. Para ajudar Click aqui.

sábado, 12 de março de 2016

COFEN/COREN/AC

Acre realiza audiência pública sobre formação em Enfermagem EaD.

A formação de profissionais de Enfermagem pelo ensino a distância e os riscos que essa modalidade pode trazer à sociedade serão tema de uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Acre, na próxima quinta-feira (17/3), a partir das 10h.
A audiência foi proposta pelo deputado Jenilson Leite, em ação articulada com o COFEN e Conselho Regional de Enfermagem do Acre - COREN/AC.
O Sistema COFEN/Conselhos Regionais entende que a modalidade EaD é inadequada para a formação teórico-prática indispensável aos enfermeiros e técnicos de Enfermagem, que lidam diretamente com a vida humana.
As audiências públicas, realizadas em todo o Brasil, fazem parte de um amplo movimento para ampliar o debate e frear a expansão dos cursos a distância, oferecidos em condições inadequadas, conforme constatado naoperação EaD.
No Congresso, o COFEN propôs o Projeto de Lei 2891/2015, que proíbe a graduação de enfermeiros e formação de técnicos na modalidade EaD. 
Apresentado por meio do deputado federal Orlando Silva (PC do B – SP), o projeto já recebeu parecer favorável da comissão de educação.
Fonte_COFEN

Campanha

Campanha