quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal....


Que neste Natal e em todos os dias do próximo ano, possamos fazer de Jesus nosso melhor amigo, pois Ele é o maior motivo do Natal e da nossa existência.
Feliz Natal e um novo ano cheio de amor, paz, amizade, humildade e sabedoria.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Em Breve....

A Associação Nacional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem - ANATEN, uma Associação civil sem fins lucrativos, de caráter cultural, científico e político que congrega Técnicos e Auxiliares de enfermagem que a ela se associam, individual e livremente.

É regida por estatuto e regimento próprios e suas decisões, recursos e patrimônio são definidos, fiscalizados e controlados por órgãos e instâncias de deliberação, de administração e execução e de fiscalização.

Pautada em princípios éticos e de conformidade com suas finalidades articula-se com as demais organizações e seguimentos da enfermagem brasileira com vista ao desenvolvimento político, social e cultural de seus associados.

Tem como eixo a defesa e a consolidação do trabalho da enfermagem em suas competências auxiliares e técnicas como prática social, essencial à assistência a saúde, bem como, a organização e ao funcionamento dos serviços de saúde, e como compromisso propor e defender políticas e programas que visem à melhoria da qualidade de vida da população e acesso universal aos Serviços de Saúde.


Missão:

Integração das duas maiores categorias profissionais da Enfermagem do país, no âmbito profissional, cultural,social, educacional e político.

Tendo como prioridade, o zelo pela qualidade e excelência dos serviços prestados à sociedade, pautado nos princípios éticos profissionais e da legislação vigente.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Aedes Aegypti

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu alerta mundial nesta terça-feira, 1, para que seus mais de 140 países-membros reforcem a vigilância para o eventual crescimento de infecções provocadas pelo zika vírus. Também sugeriu o isolamento dos pacientes. O Brasil já planeja protocolo específico para gestantes. O comunicado da OMS cita diretamente o aumento de nascimentos de bebês com má-formação e de casos da síndrome Guillain-Barré identificados no Brasil. O documento pela primeira vez reconhece a ligação entre o vírus e o crescimento de casos dessas doenças
Ainda se sugere que países fiquem alertas para a necessidade de se ampliar o atendimento de serviços neurológicos e de cuidados específicos a recém-nascidos – algo já imaginado pelos Estados nordestinos. Com 11 páginas, o documento da Organização Mundial da Saúde usa o avanço de casos de microcefalia no Brasil – já são 1.248 – e o registro de três mortes por zika (duas de adultos e uma de recém-nascido) como um dos fatores que levaram o organismo a atualizar as recomendações de vigilância.
O documento recomenda que aqueles países que não têm casos autóctones de zika reforcem os sistemas de vigilância para identificação rápida de eventuais infecções. “Baseado na experiência do Brasil e da Colômbia, autoridades sanitárias devem ficar alertas para casos de manchas vermelhas e febre de causa desconhecida”, diz o texto. O comunicado faz ainda recomendações para países onde já há registros de casos autóctones (transmitidos na própria cidade ou país) de zika. Autoridades sanitárias devem acompanhar tendências de uma eventual dispersão do vírus para outras regiões, ficar atentas a complicações neurológicas e aumento de doenças autoimunes em pacientes de todas as idades. O documento também recomenda a vigilância reforçada no aparecimento de má-formação em bebês.
No texto, a OMS sugere que pacientes infectados pelo vírus permaneçam em casa, sob proteção de telas com repelentes – uma estratégia para tentar combater a dispersão do vírus. Isso porque o Aedes aegypti pode também se contaminar pelo vírus se picar uma pessoa que já está com a doença. Especificamente o órgão mundial recomenda que gestantes procurem se proteger contra o vírus. A OMS também fez um apelo para que países com a presença do Aedes aegypti reduzam os criadouros.
Governo brasileiro
O Ministério da Saúde já desenhou o protocolo que será usado para o acompanhamento de gestantes com suspeita de zika vírus e de bebês com diagnóstico de microcefalia. Além de um manual sobre as condutas que devem ser adotadas por equipes de saúde, o governo prepara o mapeamento dos serviços disponíveis para atendimento dos bebês e de familiares. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o Secretário de Atenção à Saúde, Alberto Beltrame, afirmou que a preocupação maior será fazer a identificação de bebês com a má-formação o mais precocemente possível. “Para gestantes, os procedimentos não devem mudar.”
A ênfase será dada a partir do diagnóstico da má-formação no bebê, feita no nascimento ou ainda durante a gestação, por meio do exame de ultrassom. Depois do nascimento e identificado o problema, por meio da medição do perímetro cefálico, o bebê deverá ser encaminhado para a realização de uma tomografia. O exame é feito sobretudo para avaliar os danos provocados pela má-formação.
A microcefalia é uma síndrome que até agora era considerada rara Justamente por isso, o número de profissionais com capacitação para o acompanhamento e diagnóstico não é alto. O secretário garante que o acesso a tomografias para confirmação da microcefalia não é problema. “No caso de o bebê nascer numa cidade que não dispõe do aparelho, será providenciada a transferência para outro local.”
Serviços
O Ministério da Saúde está fazendo a identificação de serviços de referência para os quais os bebês com a confirmação da microcefalia devem ser encaminhados. Também está prevista a oferta de serviços de acompanhamento psicológico para pais das crianças. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Fonte_COFEN

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Prevenção


O câncer da pele é o tipo de tumor mais incidente na população - cerca de 25% dos cânceres do corpo humano são de pele.
O câncer de pele é definido pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele.
Qualquer célula que compõe a pele pode originar um câncer, logo existem diversos tipos de câncer de pele.
O dermatologista está na linha de frente na prevenção, diagnóstico, tratamento e acompanhamento do problema.
Para saber mais click nos links abaixo:

sábado, 28 de novembro de 2015

Próximo CONATENF

A cerimônia de encerramento do IV Congresso Nacional de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem - CONATEN emocionou o público nesta sexta-feira (27/11), em Salvador. Após três dias de intensas atividades, a palestra do enfermeiro Sérgio Luz convidou os congressistas a encontrarem formas de trazer leveza às suas vidas.
A palestra, marcada por atividades lúdicas e interativas, culminou com a entrega de uma árvore da Natal, decorada com palavras escritas pelos congressistas no início da atividade, descrevendo o que lhe trazia paz e um sorriso no rosto. A árvore foi recebida por Tonny Costa, presidente da ANATEN, entidade que organiza o congresso, patrocinado integralmente pelo COFEN.
Tonny Costa anunciou a sede do próximo CONATEN. Em 2016, Brasília receberá o maior encontro de profissionais de Saúde de nível médio do Brasil. Tonny anunciou, ainda, a formação da nova seção da ANATEN na Paraíba, ao lado do presidente do COREN/PB, Ronaldo Beserra.
Como um terço dos enfermeiros brasileiros, o presidente do COREN/PB iniciou sua trajetória na Enfermagem como profissional de nível médio. “Sou enfermeiro, presidente de COREN, mas não esqueço que também sou auxiliar e técnico de Enfermagem”, afirmou, lembrando da importância dos profissionais, que formam 80% das equipes.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Comissão Nacional de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem - CONATENF

Os integrantes da Comissão Nacional de Técnicos e Auxiliares de Enfermagem – CONATENF, criada para aperfeiçoar a interlocução com os profissionais de nível médio junto à plenária do COFEN, participaram  de mesa redonda nesta quinta-feira (27/11), no IV Conaten. Amplo debate sobre a representatividade do nível médio seguiu-se à apresentação sobre o processo de criação e os primeiros trabalhos da CONATENF.
A formação da CONATENF, mais de quatro décadas após a criação do sistema COFEN/Conselhos Regionais, marca uma inclusão histórica do nível médio, que representam 80% da equipe de Enfermagem no Brasil. A comissão tem função consultiva e propositiva, podendo fazer uso da fala durante as reuniões de plenárias, instância deliberativa máxima do Cofen.
A articulação de demandas e mobilização  dos profissionais é outro trabalho realizado pela Conatenf, explicou Jairo Saraiva. “Nós conversamos diretamente com os profissionais que compareceram em massa à audiência pública de Porto Velho/RO, reivindicando a revisão das escalas contínuas de trabalho”, contou. O Cofen e o Coren-RO estão dando apoio jurídico e negocial às equipes de Enfermagem das unidades hospitalares privadas de Porto Velho, submetidas a regime de trabalho exaustivo, com risco para a segurança dos pacientes e profissionais.
Consulta Pública – Algumas das demandas apresentadas pelo público exigiriam mudança na lei de criação dos Conselhos de Enfermagem, explicaram os integrantes da Conatenf, que convidaram os profissionais de nível médio a participaram de consulta pública do Cofen sobre proposta de revisão na lei. Após as contribuições na consulta pública, a proposta será revista e, se aprovada pela plenária do Cofen, encaminhada ao Congresso Nacional.
“É a primeira vez que temos representação no Cofen. Se antes falávamos pelos corredores, entre nós, agora temos interlocução direta. É preciso questionar sim, sempre, mas também construir, conhecer o papel do conselho, dos sindicatos, das associações”, afirmou a técnica Aline Soares.
Conheça a composição da CONATENF:
Efetivos
  • Rosângela Fernandes Alves França (coordenadora)
  • Emerson Cordeiro Pacheco
  • Jefferson Erecy Santos
  • Dorly Fernanda Gonçalves
  • Paulo Murilo de Paiva
Suplentes
  • Geraldo Isidoro de Santana
  • Jairo Moraes Saraiva
  • Ademir dos Santos Pimentel Andrade
  • Adriano Araújo da Silva
  • José Antônio da Costa

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Associação Nacional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem - ANATEN/ACRE

A abertura do IV Congresso Nacional de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem - CONATEN, na noite de quinta-feira (26/11), em Salvador, destacou a necessidade de união dos profissionais para  fazer avançar políticas que beneficiem a Enfermagem e a Saúde Coletiva. Com mais de 500 inscritos, o congresso organizado pela ANATEN com patrocínio do COFEN é o maior evento dos profissionais de Saúde de nível médio.
“O objetivo deste congresso é proporcionar um momento de discussão não apenas em aspectos científicos, mas sociais e políticos. Por isto a importância desta mesa completa, com representantes das associações, sindicatos e dos Conselhos de Enfermagem”, afirmou o presidente da ANATEN, Tonny Costa. A mesa teve participação da ANATEN, do COFEN, COREN/BA,  MuNEAN, Sintefem, Sindate-BA,  SEEB.
Presente na mesa de abertura, a deputada enfermeira Rejane (PC do B – RJ) destacou o papel do presidente do COFEN, Manoel Neri, na organização da Enfermagem brasileira, buscando a união das categorias e das organizações profissionais para fazer avançar os temas que afetam a Enfermagem e a Saúde Coletiva.
“Quem alimenta lutas fratricidas pode servir ao próprio ego, mas nunca à Enfermagem. Não sejamos adversários de nós mesmos. Nossos adversários são outros, são aqueles que impedem avanços e promovem retrocessos nos direitos conquistados pelos trabalhadores, pelas mulheres, pelos negros, pelos indígenas. Quem acompanha a tramitação dos projetos de lei que estabelecem o Piso Salarial, a Jornada de Trabalho, sabe como vota a bancada BBB (da Bala, da Bíblia e do Boi), colocando o lucro empresarial acima dos interesses dos trabalhadores e do povo brasileiro”, afirmou o presidente do COFEN, Manoel Neri, sob aplausos.
A deputada enfermeira Rejane ressaltou os graves problemas na Saúde brasileira, o subfinanciamento e a entregue do SUS às organizações sociais, que atuam como empresas, intensificando a exploração dos profissionais. “A pesquisa Perfil da Enfermagem (COFEN/Fiocruz) mostra quem somos. Somos uma profissão majoritariamente de mulheres, negras e exploradas com salários aviltantes e difíceis condições de trabalho. É sob esta perspectiva que devemos nos organizar politicamente”, disse a deputada.
A abertura destacou, ainda, a necessidade de combater a banalização da formação em Enfermagem, com cursos de má qualidade, inclusive por Educação à Distância. Em agosto deste ano, o COFEN propôs projeto de lei que proíbe a formação por EaD em Enfermagem, apresentado na Câmara dos Deputados por Orlando Silva (PC do B – SP), e projeto de lei dispondo sobre condições dignas de descanso para profissionais de Enfermagem, apresentado pelo senador Valdir Raupp (PMDB – RR).
Representatividade do Nível Médio – Melhorar a interlocução com o nível médio é um dos objetivos da atual gestão do COFEN (2015-2017), que, em sua primeira plenária, criou a Comissão Nacional de Técnicos e Auxiliares de Enfermagem – CONATENF. Com função consultiva e propositiva, a comissão atua como representante dos profissionais de nível médio junto ao COFEN. Os integrantes da CONATENF participarão de mesa redonda.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Profisão, Cuidador..

O COFEN participou, nesta terça-feira (3/11), da audiência pública da Câmara dos Deputados sobre o Projeto de Lei que regulamenta a profissão de cuidador de idosos. A audiência destacou a importância social da regulamentação, especialmente com o envelhecimento da população, e a necessidade de ajustar o projeto, delimitando as atribuições do profissional, tanto para evitar o choque com áreas já regulamentadas, como a Enfermagem e Nutrição, quanto para evitar que o acúmulo, indevido de tarefas do serviço doméstico.
O COFEN é favorável ao PL originalmente aprovado pelo Senado, sem o substitutivo da senadora Martha Suplicy, que amplia o escopo de atuação dos profissionais, incluindo unidades de Saúde. “A regulamentação é importante para assegurar direitos ao trabalhador e garantir parâmetros mínimos de assistência e de formação dos cuidadores. Entendemos, porém, que os cuidadores de idosos devem atuar em residências e nas instituições de longa permanência, sem invadir prerrogativas dos profissionais de Enfermagem”, afirma o presidente Manoel Neri.
Os conselheiros federais Luciano Silva e Nádia Ramalho representaram o Cofen na audiência, que contou ainda com participação do Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (COREN/RJ). “Não temos dúvidas quanto à importância da regulamentação, mas há pontos do PLS 284 que precisam ser modificados. A administração de medicamentos, prevista no projeto, já é atribuição do profissional de Enfermagem, que têm a habilidade e a formação necessárias, com carga teórica e prática”, explica o conselheiro Luciano.
“Outra questão grave diz respeito ao local de atuação. Nas unidades de Saúde, o cuidado não deve ser empírico, mas baseado em evidências científicas, exigindo um outro grau de formação”, afirmou. “Além disto, é preocupante o texto excessivamente genérico do projeto, que atribui aos cuidadores prerrogativas como a de realizar ‘outros procedimentos de Saúde’. ‘Outros procedimentos de Saúde’ podem ir desde neurocirurgia à troca de um curativo no dedo do pé”, ressaltou o conselheiro.
Risco de Fragmentação – Preocupação similar foi expressa pelo diretor do Departamento de Gestão e Regulação do Trabalho em Saúde, Ângelo D’Agostin, que representou o Ministério do Trabalho na mesa de audiências. D’Agostin ressaltou a importância social da regulamentação, mas alertou para o risco de fragmentar as profissões de Saúde, evidente na atual versão do PLS 284. “Quanto mais ampliarmos o âmbito de trabalho, maior a necessidade de especificar as atribuições”, afirmou.
Visão integral do cuidado – Mantidas as atuais tendências, em 2050 o Brasil terá uma população de 63 milhões de pessoas com mais de 60 anos, segundo projeções do IBGE. O número corresponde a 164 para cada 100 jovens, uma inversão do atual predomínio de adultos jovens na população brasileira. Para Ana Lúcia Santos, da Associação dos Cuidadores de Pessoa Idosa, da Saúde Mental e com Deficiência do Estado do Rio de Janeiro, “o diferencial da profissão e sua especificidade é o olhar diferenciado sobre as necessidades do idoso e a manutenção de sua autonomia”.
Fonte_COFEN

domingo, 4 de outubro de 2015

Parabéns....

Hoje é comemorado o Dia Nacional do Agente Comunitário de Saúde. Personagem fundamental da cadeia de Atenção Primária, é ele quem está mais próximo dos problemas que afetam a comunidade. Ele se destaca pela capacidade de se comunicar com as pessoas e pela liderança natural que exerce. Sua ação favorece a transformação de situações que afetam a qualidade de vida das famílias, como aquelas associadas ao saneamento básico, destinação do lixo, condições precárias de moradia, situações de exclusão social, desemprego, violência intrafamiliar, drogas lícitas e ilícitas, acidentes etc.

sábado, 3 de outubro de 2015

Você Sabia?

Manter os dentes saudáveis é essencial para ter saúde e qualidade de vida, uma vez que, com dentes bem cuidados, é possível realizar um processo de mastigação sem dor e eficiente, além, é claro, de melhorar a autoestima.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Congresso Latino Americano da Enfermagem 2015

A 18ª edição do Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem - CBCENF, realizado no Centro de Convenções de João Pessoa/PB, foi encerrada como começou, com muita alegria, aprendiza
do e emoção. A cientificidade e a construção integrada, em parceria com os Conselhos Regionais, é o grande legado do CBCENF.
Foram mais de 30 horas de programação, em quatro dias de evento. “Podemos afirmar com segurança que a diversidade de temas contemplou esta edição de CBCENF como a mais rica e completa da nossa história”, avaliou o coordenador científico do evento, Leocarlos Cartaxo.
O deputado federal Wilson Filho (PTB/PB), presidente Frente Parlamentar Mista em Defesa da Enfermagem, foi homenageado no encerramento. “Já colocamos a bandeira das 30 horas como a principal da enfermagem. Vocês que carregam a saúde brasileira nas costas. Vamos convencer aqueles que ainda não apoiam a nossa bandeira”, afirmou o deputado. A mesa contou com a presença dos conselheiros federais e diversas autoridades, incluindo a deputada estadual enfermeira Rejane, do Rio de Janeiro (PC do B/RJ).
O presidente do Cofen, Manoel Neri, celebrou os resultados do 18º CBCENF. “O congresso inovou com uma programação científica identificada com os problemas emergentes da Enfermagem brasileira. Os e-posters foram outro sucesso, unindo a apresentação dos trabalhos com a tecnologia, para dar agilidade ao evento”.
“Em 2008, até cheguei levar a votação para mudar a periodicidade do CBCENF, que passaria a ser realizado a cada dois anos. Fui derrotado”, confessou. “O sucesso do congresso mudou minha opinião”. O presidente lembrou que dois meses antes do 18o CBCENF foi necessário terminar as inscrições devido a grande procura, tudo com divulgação apenas pelo site do Cofen e pelas redes sociais.
O 18º CBCENF teve registrado em seu credenciamento 6,3 mil pessoas, de 15 a 18 de setembro, com sessões frequentemente lotadas e intensa participação dos congressistas.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

ANVISA suspende lote de medicamento

A resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA publicada hoje (6) no Diário Oficial da União suspende a distribuição, a comercialização e o uso do lote AX4144A2D (validade até setembro de 2016) do medicamento Amoxicilina 500 mg cápsulas, fabricado pela empresa Aurobindo Pharma Indústria Farmacêutica Ltda.
De acordo com o texto, o próprio fabricante encaminhou à agência comunicado de recolhimento voluntário do produto em razão de desvio de qualidade por presença de corpo estranho em um blister (embalagem) lacrado do lote.
A Aurobindo Pharma Indústria Farmacêutica Ltda. informou que já encaminhou uma carta a todos os clientes e estabelecimentos que receberam o lote, orientando sobre a devolução do medicamento.

domingo, 10 de maio de 2015

Perfil da Enfermagem

A enfermagem hoje no país é composta por um quadro de 80% de técnicos e auxiliares e 20% de enfermeiros. A conclusão é da pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil, cujos resultados também apontam desgaste profissional em 66% dos entrevistados e grande concentração da força de trabalho na Região Sudeste (mais da metade das equipes consultadas). O mais amplo levantamento sobre uma categoria profissional já realizado na América Latina é inédito e abrange um universo de 1,6 milhão de profissionais. O estudo foi realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por iniciativa do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).
De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a área de saúde compõe-se de um contingente de 3,5 milhões de trabalhadores, dos quais cerca 50% atuam na enfermagem. A pesquisa sobre o Perfil da Enfermagem, realizada em aproximadamente 50% dos municípios brasileiros e em todos os 27 estados da Federação, inclui desde profissionais no começo da carreira (auxiliares e técnicos, que iniciam com 18 anos; e enfermeiros, com 22) até os aposentados (pessoas de até 80 anos).
 “Traçamos o perfil da grande maioria dos trabalhadores que atuam do campo da saúde. Trata-se de uma categoria presente em todos os municípios, fortemente inserida no SUS e com atuação nos setores público, privado, filantrópico e de ensino. Isso demonstra a dimensão da pesquisa, que não contempla apenas os que estão na ativa, mas a corporação como um todo”, comenta a coordenadora-geral do estudo e pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), Maria Helena Machado.
No quesito mercado de trabalho, 59,3% das equipes de enfermagem encontram-se no setor público; 31,8% no privado; 14,6% no filantrópico e 8,2% nas atividades de ensino.A pesquisa foi encomendada pelo Cofen para determinar a realidade dos profissionais e subsidiar a construção de políticas públicas. “Este diagnóstico detalhado da situação da enfermagem brasileira é um passo necessário para a transformação da realidade”, afirma o presidente do Cofen, Manoel Carlos Neri.

Renda mensal
Considerando a renda mensal de todos os empregos e atividades que a equipe de enfermagem exerce, constata-se que 1,8% de profissionais na equipe (em torno de 27 mil pessoas) recebem menos de um salário-mínimo por mês. A pesquisa encontra um elevado percentual de pessoas (16,8%) que declararam ter renda total mensal de até R$ 1.000. Dos profissionais da enfermagem, a maioria (63%) tem apenas uma atividade/trabalho.
Os quatro grandes setores de empregabilidade da enfermagem (público, privado, filantrópico e ensino) apresentam subsalários. O privado (21,4%) e o filantrópico (21,5%) são os que mais praticam salários com valores de até R$ 1.000. Em ambos, os vencimentos de mais da metade do contingente lá empregado não passa de R$ 2.000.

Masculinização
A equipe de enfermagem é predominantemente feminina, sendo composta por 84,6% de mulheres. É importante ressaltar, no entanto, que mesmo tratando-se de uma categoria feminina, registra-se a presença de 15% dos homens. “Pode-se afirmar que na enfermagem está se firmando uma tendência à masculinização da categoria, com o crescente aumento do contingente masculino na composição.
Essa situação é recente, data do início da década de 1990, e vem se firmando”, afirma a coordenadora.

Profissionais qualificados
O desejo de se qualificar é um anseio do profissional de enfermagem. Os trabalhadores de nível médio (técnicos e auxiliares) apresentam
escolaridade acima da exigida para o desempenho de suas atribuições, com 23,8% reportando nível superior incompleto e 11,7% tendo concluído curso de graduação. O programa Proficiência e outras iniciativas de aprimoramento promovidas pelo Sistema Cofen/Conselhos Regionais revelaram ampla penetração, alcançando 94,5% dos enfermeiros e 98% dos profissionais de nível médio (técnicos e auxiliares) que relatam participação em atividades de aprimoramento.

Desemprego aberto
Dificuldade de encontrar emprego foi relatada por 65,9% dos profissionais de enfermagem. A área já apresenta situação de desemprego aberto, com 10,1% dos profissionais entrevistados relatando situações de desemprego nos últimos 12 meses.

Concentração geográfica
Mais da metade dos enfermeiros (53,9%), técnicos e auxiliares de enfermagem (56,1%) se concentra na Região Sudeste. Proporcionalmente à população, que representa 28,4% dos brasileiros segundo o IBGE, a Região Nordeste apresenta a menor concentração de profissionais, com 17,2% das equipes de enfermagem.
Fonte: Fiocruz e Cofen

Semana da Enfermagem 2015


Para maiores informações Click aqui.

sábado, 9 de maio de 2015

Dia D - Gripe

A Secretaria Municipal de Saúde de Cruzeiro do Sul já colocou a vacina contra a gripe à disposição nas unidades de saúde há mais de duas semanas, mas somente a partir de hoje a campanha teve sua abertura oficial pelo Ministério da Saúde.
Na segunda maior cidade do Acre, a meta é imunizar em torno de 16 mil pessoas.
Para atingir esse objetivo o município se prepara para vacinar o maior número de pessoas no próximo sábado (09) que será o dia de mobilização nacional da campanha contra a gripe de 2015.

quinta-feira, 12 de março de 2015

FIQUEM ATENTOS!

Grupo de Trabalho instituído para estabelecer a logística de distribuição das carteiras profissionais em 2015 se reuniu nesta quarta-feira (11/3) na sede do Conselho Federal de Enfermagem - COFEN. Com cerca de 1,8 milhão de profissionais, a Enfermagem é a maior categoria da área de Saúde no Brasil, respondendo por 60% da força de trabalho.
Os documentos emitidos até 31/12/2010 expiram em 1º/1/2016, devendo ser substituído até o final de 2015. Coordenado pela conselheira federal Fátima Sampaio, o grupo é composto pela chefe do Departamento de Registro de Cadastro (DRC), Nilza Felix, e pelos representantes de Conselhos Regionais Rafael Santos (Coren – SP), Luciene Almeira (Coren – MG), Demarie Gonçalves (Coren – RJ) e Adjone Gomes (Coren – PB).
Fonte_COFEN

NA LUTA....

O Projeto de Lei 2.295/2000, que regulamenta a jornada de trabalho dos profissionais de Enfermagem em 30 horas semanais, foi o mais pedido de fevereiro na Central de Comunicação Interativa da Câmara dos Deputados, o Disque-Câmara (0800 619 619). Foram 3.956 manifestações favoráveis ao projeto. Só em fevereiro, houve 13.767 manifestações pelo telefone e pelo formulário “Fale Conosco” do portal da Câmara. O número representa um aumento de 90,9% na participação popular em comparação a fevereiro de 2014, quando foram recebidas 7.211 demandas dos cidadãos.
A Central Interativa é responsável pela primeira linha de atendimento aos cidadãos, ou seja, recebe e responde as demandas imediatas, faz a triagem de todos os assuntos e encaminha as mensagens que precisam de atendimento mais específico – como denúncias e pesquisas mais detalhadas – para outras áreas da Câmara. Em 2014, um ano considerado atípico por causa da Copa do Mundo de Futebol e das eleições, foram atendidas 111.736 demandas da sociedade.
Fonte_COFEN

domingo, 1 de março de 2015

SUS nas cidades brasileiras

Índice de Desempenho do SUS - IDSUS é calculado pelo Ministério da Saúde para avaliar a qualidade do sistema público de saúde de todos os municípios brasileiros, com base em vários indicadores, como a porcentagem de mulheres que fazem mamografias e das mães que realizam o pré-natal.
O índice foi divulgado pelo governo no ano de 2013 e deve sair novamente agora em 2015. Até lá, permanece como o melhor retrato comparativo da problemática área da saúde no país.
Mas se sair bem no IDSUS - com notas acima de 7, enquanto o Brasil se contenta com uma média de 5,47 -  não quer dizer que as cidades abaixo sejam perfeitas ou que necessariamente tenham instalações médicas de ponta, e sim que conseguem garantir o acesso de seus cidadãos à saúde considerando as limitações do próprio tamanho.
Como algumas cidades têm de atender duas mil pessoas (como Arco-Íris) e outras, mais de um milhão (como Goiânia), o índice têm cobranças diferentes. Das pequenas, espera-se uma atenção básica que cubra toda a população; já das grandes, que ofereçam mais, como equipamentos de alta complexidade – o que só faz sentido com a demanda de uma cidade maior - e que aguentem, por isso, atender pacientes de outras localidades.
Os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais concentram os 10 primeiros lugares do Brasil, sendo que, além desses, apenas Santa Catarina, Paraná e Tocantins conseguem ter municípios na lista de excelência do país.
PosiçãoCidadeEstadoNota IDSUS
1Arco-ÍrisSP8,37
2PinhalRS8,22
3BarueriSP8,21
4RosanaSP8,17
5Cássia dos CoqueirosSP8,13
6Paulo BentoRS8,13
7São João Batista do GlóriaMG7,94
8Santa Rita d'OesteSP7,94
9VirmondPR7,93
10AltinópolisSP7,89
11PardinhoSP7,89
12Três FronteirasSP7,83
13Águas MornasSC7,82
14Ipiranga do SulRS7,82
15Campo BonitoPR7,81
16RubinéiaSP7,80
17Santana da Ponte PensaSP7,80
18BorebiSP7,79
19Porto BarreiroPR7,78
20Lindolfo CollorRS7,78
21Flor da Serra do SulPR7,77
22Fernandes PinheiroPR7,75
23Paulo LopesSC7,75
24Governador Celso RamosSC7,73
25ModeloSC7,73
26Nova RamadaRS7,73
27Presidente KubitschekMG7,72
28MacieiraSC7,72
29TigrinhosSC7,72
30Santo Antônio do PalmaRS7,72
  
PosiçãoCidadeEstadoNota IDSUS
31CarmésiaMG7,71
32MarinópolisSP7,70
33PitangueirasPR7,69
34AnhembiSP7,68
35Santa Izabel do OestePR7,68
36Santo Amaro da ImperatrizSC7,68
37Rio Bonito do IguaçuPR7,67
38Nova Aliança do IvaíPR7,65
39Rio FortunaSC7,65
40MuliternoRS7,65
41RoladorRS7,65
42SulinaPR7,64
43Entre Rios do SulRS7,64
44Alvorada de MinasMG7,63
45Bom Sucesso do SulPR7,63
46VitorinoPR7,61
47Dom Pedro de AlcântaraRS7,61
48Santo Antônio do PlanaltoRS7,61
49Oliveira de FátimaTO7,60
50São FranciscoSP7,60
51Tio HugoRS7,60
52CardosoSP7,59
53Santa Fé do SulSP7,59
54Lajeado GrandeSC7,59
55Mato LeitãoRS7,59
56Victor GraeffRS7,59
57AlpinópolisMG7,58
58LucianópolisSP7,58
59LunardelliPR7,58
60Flor do SertãoSC7,56
61São Pedro de AlcântaraSC7,56
62GuaraciamaMG7,54
63Santa Clara d'OesteSP7,54
64Vitória BrasilSP7,54
65Pinhal de São BentoPR7,54
66Águas de ChapecóSC7,54
67ÁureaRS7,54
68Capivari do SulRS7,54
69ItáSC7,53
70PontalindaSP7,52
PosiçãoCidadeEstadoNota IDSUS
71Simão PereiraMG7,51
72IndiaporãSP7,51
73GuamirangaPR7,51
74MaremaSC7,51
75São Pedro do ButiáRS7,51
76São José da BarraMG7,50
77ErnestinaRS7,50
78FaxinalzinhoRS7,50
79São José do InhacoráRS7,50
80Coronel PachecoMG7,49
81MostardasRS7,49
82Nova AlvoradaRS7,49
83IguatuPR7,48
84Rosário do IvaíPR7,48
85Coqueiros do SulRS7,48
86Morro da GarçaMG7,47
87JupiáSC7,47
88Santo Antônio do ItambéMG7,46
89Onda VerdeSP7,46
90PlanaltoPR7,46
91AdolfoSP7,45
92Nova Canaã PaulistaSP7,45
93BrunópolisSC7,45
94CajuriMG7,44
95MiradorPR7,44
96Coronel MartinsSC7,44
97Iporã do OesteSC7,44
98Mira EstrelaSP7,43
99Planalto AlegreSC7,43
100Dezesseis de NovembroRS7,43
Fonte_Marcos Prates, Exame.com

Campanha

Campanha