quinta-feira, 7 de julho de 2011

A Luta pela Valorização!

A greve dos trabalhadores da Saúde (médicos, enfermeiros, técnicos, radiologistas, farmacêuticos e dentistas) reduziu o efetivo nas unidades para 30% do total de servidores do quadro, segundo sindicalistas. Na terça (5), 1º dia de paralisação, das 35 cirurgias previstas para serem realizadas no Hospital das Clínicas (HC), 10 foram canceladas. Os casos de emergência foram priorizados.

Ontem, a direção da unidade registrou a falta de 3 médicos, 2 deles por conta da greve. Em torno de 20% do pessoal da enfermagem não compareceu ao HC, mas nenhum leito foi bloqueado. No setor de exames, nenhum servidor faltou.

O diretor do HC, Carlos Eduardo, garantiu que as cirurgias canceladas foram novamente agendadas e algumas delas feitas ontem mesmo. No Hospital de Urgências e Emergências de Rio Branco (Huerb) não houve cancelamento de cirurgias e o atendimento seguiu fluxo normal. “A demanda aqui não está intensa, mas 70% dos trabalhadores estão parados. Só voltamos a trabalhar depois que o governo sentar e negociar”, afirmou a secretária-geral do Sindicato dos Auxiliares, Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros do Acre (Spate), Alesta da Costa.
Os sindicalistas se reuniram com deputados na manhã de ontem e conseguiram um acordo para suspender a votação da proposta de reajuste oferecido pelo Governo do Estado. À tarde, o presidente da Aleac, Elson Santiago, e o líder do governo, deputado Moisés Diniz, em reunião com o governador Tião Viana intermediaram as negociações.
O movimento envolvendo 9 sindicatos das áreas da saúde e segurança deflagrou greve por tempo indeterminado a partir de terça (5), para pressionar o governo a rediscutir a pauta econômica. Os servidores querem a revisão da oferta de 20% oferecida em caráter conclusivo parcelados em 4 vezes com aplicação em dezembro de 2012.
Fonte: por Golby Pullig - A Gazeta do Acre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Campanha

Campanha