quarta-feira, 28 de março de 2018

Cerimônia de posse COREN/RJ

O entusiasmo para dar início a uma gestão dinâmica e transparente, e com todos os esforços voltados para enfrentar o desafio de valorizar a enfermagem diante da crise pela qual passa o Rio, deu o tom às falas das autoridades presentes à posse do plenário eleito do Coren-RJ, triênio 2018/2020. A cerimônia foi realizada em 27/03, no CECENF – Centro de Estudos da Enfermagem Fluminense, na Glória. Na composição da mesa, a presidente do Coren-RJ, Ana Lúcia Telles Fonseca recebeu o presidente do Cofen, Manoel Neri; a deputada estadual Enfermeira Rejane a vice-presidente eleita do Cofen, Nádia Ramalho; e a primeira-tesoureira do Coren-RJ, Maria Lúcia Tanajura. Foram empossados 32 conselheiros representando os quadros I, II e III.

Para o auditório lotado, a presidente eleita fez um discurso objetivo e claro, onde garantiu o compromisso da sua gestão em trabalhar arduamente pela busca da excelência do atendimento, alinhada com as lutas da categoria e com o fortalecimento do SUS. “Hoje, a profissão sofre, diariamente, com os desmandos e descasos dos dirigentes e gestores da Saúde do estado do Rio de Janeiro”, afirmou Ana Lúcia. A presidente finalizou agradecendo aos que comungam com o plenário eleito pelo êxito do projeto de democratização e projeção da profissão da enfermagem, como possibilidade concreta de intervenção na saúde da população brasileira.
O presidente do Cofen, Manoel Neri, ressaltou a importância do triunfo quando há oposição: “É melhor ganhar eleição com disputa do que com chapa única”, opinou o presidente, reafirmando o apoio da autarquia federal na realização dos propósitos para os quais o Plenário foi eleito. A vice-presidente eleita do Cofen, Nádia Ramalho, frisou sobre a importância da transparência nas eleições online, que contemplaram com o direito ao voto até profissionais que se encontravam fora do país. Nádia observou ainda o mérito do Coren-RJ nas conquistas jurídicas pelos direitos da categoria.

A deputada Enfermeira Rejane reavivou a memória de todos lembrando a histórica saga das sete mulheres: aquelas que tomaram as rédeas do Coren-RJ quando foi instaurada a Junta Interventora, após a autarquia ficar 20 anos entregue à corrupção e irregularidades. Na época, em 2008, assumiram a reconstrução do Coren-RJ Rejane de Almeida, Nádia Ramalho, Glória Maria de Carvalho, Ana Lúcia Telles, Denise Resende, Augustinha Gonçalves e Georgina Rodrigues. A deputada lamentou o momento crítico por que passam os trabalhadores brasileiros destituídos de seus direitos, destacando que a reforma trabalhista afeta direta e intensamente a enfermagem, classe profissional composta, em sua maioria, por mulheres.
A conselheira e diretora Maria Lucia Tanajura, finalizou os discursos ressaltando a importância da ética para os avanços e na defesa da categoria. Ela, que representa os quadros II e III, atuou ao lado de Ana Lúcia na implantação de dezenas de comissões de ética em unidades de saúde e empresas, em todo o estado do Rio de Janeiro.
Ao final da cerimônia, foram empossados os conselheiros e inaugurada foto de Ana Lúcia Telles Fonseca no painel dos presidentes do Coren-RJ.
Fonte_COFEN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Campanha

Campanha